quinta-feira, 22 de julho de 2010

Diálogo do armário

casamento e traição são coisas equivalentes. A diferença está em quem está amando.
Apresentando mais três personagens internos: Magno, Gin e Marinaldo.

Marinaldo entra em casa quando ouve sons estranhos vindos do primeiro andar da casa. Ele vai até lá. Vai devagar para poder ouvir de onde exatamente vem os sons. Sobe a escada, de onde dá para ver uma porta aberta no fim do corredor e o som aumentando conforme a proximidade.
E então ele vê algo através da porta entreaberta algo diferente do que normalmente veria por aí: Magno em cima de Gin, numa posição não muito confortável.
▬Marinaldo?! ▬Dizem os dois de cima da cama sem se mover.
▬Não parem por minha causa. Gin. Querida, eu não encontro as chaves do carro.
▬Amor, não vai. Fica aqui com a gente. Por favor!
▬Vocês não vão brigar? Ou se agredir? Ou outras coisas que homens traídos fazem? ▬Pergunta Magno discrente do que acabou de ver.
▬Não. ▬Marinaldo responde como se não houvesse nada demais acontecendo ali. ▬Eu confio na minha mulher. Por que eu brigaria com a mulher que eu amo?
▬Por que ela tá te traindo na sua cama com um homem.
▬Prefiro quando ela fica com as mulheres. Elas discutem menos. E não se importam tanto como os homens. ▬Marinaldo vai em direção a mulher. ▬Amor, eu tenho que ir, senão eu perco a oportunidade.
Magno fica Boquiaberto com a indiferença do marido em relação aos atos da mulher.
▬Então, faz uma última vez comigo!
▬Acho que tenho muito tempo ainda.
Na mesma cama eles continuam o que o outro estava lá para fazer. O outro ficou lá inerte, sem saber o que pensar, como reagir, como sair dali, daquela situação.


Paro por aqui...
Justamente por que minha virgindademe impede de imaginar os próximos detalhes desta situação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Selecione outra página.
=>

Viaje pelas tags do blog: