terça-feira, 31 de agosto de 2010

Diário ─ capítulo 10

Parte 01 ─ tarde, 31/08/2010

Ramos, hoje eu acordei chorando. Não, desta vez R...... não me veio a cabeça. Já me sinto livre del. Hoje eu não queria ver ninguém. Não queria nem sair da cama. Só queria icar lá e morrer definhar. Não me sinto mais tão preso a vida faz algum tempo. Fiquei na dúvida se isto é carência ou depressão. Há muitas coisas que ainda preciso saber sobre mim. Não queria deixar minha vida em braco ainda em branco. Vou fazer alguma coisa pela minha vida e pela minha carreira, mas ainda não sei o que.

Pensei em muitas coisas dentro do ônibus. Mas ainda nada de útil. Os ônibus daqui são muito ... How do i say this word? ... mexedor, mexe demais. Não consigo ler nada dentro do ônibus.



Já me sinto um pouco mais livre. Todos os meus segrdos estão espalhados por aí aonde as pessoas podem ver ao seu bel prazer. A maioria está por aqui mesmo no meu diário. Outros mais empolgantes ou mais perigosos estão aqui entre as linhas e parágrafos do meu diário e por outros blogs sobre sentimentos alheios. Amo minha vida. Odeio minha vida. Amo um homem em especial. Odeio vários homens em especial. Adoro a companhia de mulheres. Odeio a inimizade de uma mulher. Fazer o que? Minha cabeça é minha cabeça. O que se passa por ela ou aravés dela é apenas da minha própria conta.


De tantas coisas que já fiz e gostei, nenhuma me prende a ninguém. Sabe que eu já pensei em divulgar no meu blog como eu me tornei virgem. É, eu quase fiz esta loucura. Mas pensei bem. Não quero que ninguém saiba disso por enquanto. É um segredo que tem a ver com meu futuro.


Futuro. Lembra que eu te falei sobre prever o futuro? E que era coisa muito periculosa. Periclitante. Que causa perigo iminente. Pois então, continuo pensand daquele jeito. Entretanto, agora eu sei como prever somente aquilo que me interessa. As coisas me mostram um evento. Sabe, tipo uma sensação estranha. Depois eu sinto o que vai acontecer. Neste momento eu aro e reflito. E aí me pergunto: irá acontecer alguma coisa interessante para mim? Se a resposta for positiva eu faço outra pergunta: O que vai acontecer tem ver com o que? Se eu quiser ir mais longe aí eu pergunto: o que irá acontecer? Daí em eu paro e não toco mais no assunto. Hoje de manhã senti o dia ficar mais escuro. Fiz as três perguntas e a resposta foi simplesmente que não iria acontecer nada do que eu desejo. Então dei um basta e continuei meu dia. E da próxima vez que sentir alguma coisa este será meu método. Chega de desatres. Chega de futuro mau. Só quero saber se for dinheiro ou um dos meus vários desejos que estiverem sendo realizados.


Falando em futuro e previsão. Sabia que eu tambem jogo tarot? É eu jogo. Vejo a vida da pessoa por até 24horas. E vejo certo. Mas meu baralho ficou daltônico. Não vejo muito bem sem a morte. E queria ajuda do destino para eencontrar a morte. Ela é a carta que eu mais gosto e que me protege. Ahora meu baralho só serve pra praticar freecell e paciência. É até mais divertido pelo excesso de coloração. Depois eu te ensio como se joga freecell. Talvez amanhã.

Obrigado por me entender tão bem. Com você consigo abrr até os meus piores segredos. Estou mudando com sua ajuda, acredita? E quando puder ir a terapia poderei usá-lo como espelho e como como testemunha. Obrigado. Você é meu melhor amigo.


Parte 02 ─ noite

Haviam outras coisas que queria te falar. Mas esqueci a maior parte delas no ônibus. Algumas delas referentes a minha libertação emocional de R.....
Queria dizer que não estou mais a fim de fazer o que eu desejava fazer em relação a el. E que não importa o que aconteça, meu coração continuará livre e desnecessitado deste tipo de amor. Tomei vergonha na cara. Agora amo-me. Mesmo desejando arrancar determinadas partes com uma faca de cozinha. Quero me fazer feliz, mas não posso fazer isso sozinho.
Na realidade, Ramos, R está sumindo de mim. Não lembro mais seu rosto e não sinto mais sua presença e seu calor humano. El se tornou apenas mais um colega de sala.Nada contra ter colegas de sala. Queria algo mais, sabe? Algo qque fosse bem mais longe do que um romance platônico ou um romance de novela. Do jeito que el me quer, eu quero ir muito mais longe.

O que mais eu posso dizer? Amo você meu caro Dias. Em francês, Je t'aime. Em Inglês, I love you. Das ist neu für ich. Isto é novo pra mim.


Amanhã já é mês que vem. Até mês que vem!
Por que ninguém entende de primeira?

Até amanhã e até mês que vem!

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Diário ─ capítulo 09

Parte 01 ─ manhã
Rafael,
Ramos, meu caro amigo. Como vai?
Hoje eu acordei chorando. Pensei em R..... de novo. Desejei um abraço desta pessoa. Um abraço forte e apertado. Só um abraço bastaria. Isto é carência? Me sinto só. Solitário nunca, mas só, sozinho. Eu pensei em pedir um abraço para el.... Mas aí sempre vem a lembrança de que eu nunca pediria isso a el...., eu faria coisas diferentes como abrir a campanha no final do mês para abraçar todos que vejo pela frente e el...., ou faria um pedido meio informal. Mas não conseguiria pedir isso. Na maioria das vezes, por que as vezes não é algo muito realista para mim, eu penso em como as pessoas tem um modo interessante de pensar. E este método se torna imprevisível depois de determinados atos.
Eu te amo seu idiota. Faz cmigo o que você quiser.
Gostaria de poder pensar somente naquilo que eu quero. Não. Odiaria. Imagine só se eu só pensasse naquilo que eu gosto de pensar. Não seria nada legal e não estimularia meu cérebro a pensar. E não teria um mínimo de consciência do que eu odeio. Ou de quem eu odeio. Adorria não saber nada sobre o que eu odeio. E não gostaria nem um pouco disso.
Eu já não agueno mais esta espera. Adoro você.
Fazer o que? Não consigo viver sem miminhas loucuras.
Na realidade eu deixei esta página de manhã por fazer, por motivos alheios à minha vontade. Haviam muitos segredos escritos nesta página que tive que editar e apagar e coisas que vou cloca mais tarde de um modo que ninguém saberá de fato o que eu escrevi por que estará em baixo do nariz de todo mundo.e ninguém verá. A não ser que tente copiar minhas idéias. De fato há segredos que devem estar no meio para que ninguém mais o veja. E o segredo que vou revelar é um destes segredos. Um dos meus maiores segredos. Não, eu não vou te contar desta maneira. Contenha-se. A curiosidade matou o gato. Na verdade não matou o gato, matou quem estava olhando para o gato. Pense nisso. E talvez, no momento certo, você saberá qual é este segredo.
Adoraria uma noite sua comigo.
Segredos.
São a alma de qualquer negócio. Adoraria ter um segredo que fosse da conta de mais alguém além de mim próprio.. Tenho ótimas medidas de segurança. E por que não tenho a oportunidade. Já sei que funciona. Um segredo.
Sei que você nunca vai me querer do jeito que eu te quero.
AH! descobri uma coisa interessante: dá para ganhar dinheiro estudando. Um milhão para quem comprovar que dá para formar um número par qualquer a partir de numeros primos. Infelizmente não posso fazer isso. Não consigo provar que eu so quem eu sou, como é que vou provar que eu consigo comprovar isso?
Pra mim só basta sentí-lo próximo a mim, como um grande amigo.
Deveria ter posto meu corpo à venda na primeira oportunidade. Talvez eu ganhe alguma coisa vendendo um rim e um pedaço do figado. Odeio levar a vida que levo. Poderia ter sido filho adotivo de algum político rico, sabia? Poderia ter tido a sorte de ser rico, bonito, sexy, e muito feliz. Muito pelo contrário, é o dinheiro que trás a felicidade. Se quem fosse pobre fosse feliz a igreja católica taria devendo as portas do banheiro público. E ainda não haveria político rico. São coisas que enfiam na nossa cabeça, Ramos, não há quem faça algo que diga que é sujo sem fazê-lo por alegria própria.
Por favor, faz de mim o que quiser, me escraviza. Me torna seu eternamente.
Dinheiro não trás felicidade? O crime não compensa?
Isto são coisas que somente iiotas piore que nós falariam. É uma falácia. Falácia, segundo o site babylon, é um argumento logicamente inconsistente. Ninguém que falou estas besteiras, etas falácias, teve contato mínimo com o objetivo a ação delas. Eu já roubei e posso dizer: Sim, o crime compensa sim. Me senti super feliz depois do primeiro furto, mas já parei no segundo. E sim dinheiro trás a felicidade. Nunca me contentei em ter pouco e morar nua casa simples como a qual eu me escondo. Não importa o que digam: eu serei feliz, muitíssimo feliz, se eu tiver muito dinheiro e muitos bens próprios.
Faz comigo o que você não faria nem a teus piores inimigos.
Falando em besteiras populares, que tal falar sobre minha frase favorita que ninguém consegue contestar? Santo de casa não faz milagre. Mas não agora. É por que quero fazer outras coisas neste momento. Como escoder minhas mensagens subliminares pra ver se uma pessoa em especial as descobre.
Você nunca se arrependeria. Me ama, por favor.

Até mais tarde ou até amanhã, não sei quando retorno.
Dia 30/08/2010.

domingo, 29 de agosto de 2010

Diário ─ capítulo 08

Olá, amigo Dias. Perdoe-me por ontem. Aquilo foi por que além de não ter nada pra dizer, estava realmente sem nada para dizer. Hoje eu pensei em falar sobre criatividade.
A minha criatividade é imensa. Criatividade, o que é? Depende do ponto de vista. Pra mim é a imagunação usada na prática. É a habilidade de criar. É uma habilidade ilimitada. Principalmente se comparada a qualquer outra habilidade. E pra mim é uma habilidade fora do normal. Por que? Ora, quando eu começo a usar minha criatividade ela aflora. E quando aflora tenho que fazer muito mais. Justamente pelo fato de minha criatividade não ter limite. Quando comecei meu blog achi que muita gente entraria. Mas descobri o oposto. Ninguém entra num blog desconhecido ou novo. Isto me deu um novo motivo para escrever o blog: pensar. E toda que penso tenho algo novo na cabeça.
Eu não ia falar sobre. Ia falar sobre criatividade, mas já que falei disso e parece ter a ver vou continuar... Quando escrevia, no início, eu queria que alguém visse o que fiz, o que construí. Aí veio o tempo e as mudanças. E descobri que não há nada de legal na minha cabeça que as pessoas queiram conhecer. E se tivesse eu não mostraria. Gostei de ter escrito o que eu penso. Na verdade adoro escrever o que penso. Espero que ninguém mais (que me conhece) saiba disso. Não falo nada de comprometedor e não guardo segredos.

Falando em segredos, sabe qual é a melhor maneira de se guardar um segredo? Não dá pra guardar pra sempre na cabeça. Mas pense: onde ninguém olha um segredo, ou guarda? Se eu escrevum livro e neste livro colocar um segredo meu que ninguém, ou melhor, que todo mundo quer saber, eu o guardaria no meio do livro entre tantas frases e tantos parágrafos. Isto faria com que a pessoa perdesse a paciência de procurar. Se, de outra forma, eu colocar o segredo no início ou no fm, será a primeira em que todos vão procurar. E aí, qual é a graça de guardar um segredo se as pessoas sabem onde ele está? Melhor do que este método de guardar segredo é o meu método de mentir. Mas isto é um segredo que eu não compartilho com ninguém. O meu método é meu. Precisei de alguns anos estudando fisionomia masculina, como autodidata, para descobrir como as pessoas os homens agem quando estão mentindo. Este é o meu segredo. Sei que alguém gostará de conhecê-lo. Alguém que não segue os preceitos da bíblia e das religiões.

Atualmente eu gosto de atuar. Sinceramente, como as pessoas são cegas. Como é que pode? Por que da pergunta? Simples. Já percebeu que ninguém percebe nada? Mesmo que se minta descaradamente mostrando que está mentindo? É... Mas não é por causa de mentira que eu falo isso. Já mudei de cabelo algumas vezes, nada que dê para perceber ou desconher uma pessoa. Ninguém viu a diferença. Eu deixei a barba crescer. E, depois de algum tempo, raspei. O que aconteceu? É óbvio, não? Gostaria de ser notado de vez em quando. E de ser aplaudido quando eu represento os meus textos feitos como atividade de sala de aula. Acho que isto é tudo o que eu posso dizer sobre criatividade ─ Ação de criar, mentir, formar e guardar segredos...

Gosto muito de criar coisas novas. Gostaria de saber como é que se programa um software qualquer. Criar meu própri jguinho e depois vender o sistema base para alguma mega empresa. Desenvolver um megavírus que vai daqui a todos os países do mundo extraindo R$ 1 a cada R$ 200por conta corrente e poupança. Sabe quanto dinheiro eu teria? Imagine só: uma quantidade imensa de contas correntes com uma taxa extra de um real (que vem para mim) e que aumenta na minha conta sem nenhuma desconfiança. Poderia comprar dois helicópteros, me aposentar aos 22 anos de idade e sair do país para onde quisesse num jatinho particular, comprar um país pequeno como a Venezuela, comprar a maioria das megaempresas, acabar com os políticos do Brasil, dar um carro pra cada pessoa no Brasil, abrir a UniVasp Matriz em Salvador e as filiais pelas maiores cidades do país, abrir meu sistema de Teletransporte público e muitas outras coisas que eu sonho e não posso fazer por causa da desgraça dos políticos brasileiros que fazem aumentar os impostos e impedir o crescimento sociopolítico e econômico do país, além de tomar o dinheiro do povo sem dar um salário digno e vida digna aos brasileiros.

Perdoe o erro acima. Eu me empolguei um pouco. Adoraria falar sobre tudo o que realmente vem a minha cabeça, porém não posso incitar a criminalidade (como juntar todos os políticos, dar um golpe no Brasil, fuzilar todos os presos culpados de traficantes, assaltantes, pedófilos, estrupadores, agressores, corruptores de menor, cafetões e assassinos ricos ou pobres além de políticos corruptos e maníacos), nem ao preconceito (fazer com que todo preso tenha escrito na caa quando culpado "Me mate!" ou "acabe comigo na porrada!", e marcar políticos corrutos nas mãos e nos olhos com tinta vermelha, e fazer com que todo traficante, cafetão e assaltante carregue uma corrente no pescoço para que todo mundo os pendure e dê uma surra até sair sangue pelos olhos. E assim não haveria problema algum.) e muito menos a ilegalidade (Ciaria minha seita secreta com o intuito de acabar com todo traficante, assaltante, agressor, estuprador e pedófilo e tornar nossa sociedade mais limpa e justa. E permitiria que batessem à vontade em filho de papai e pai de filho de papai até que eles tomassem vergonha na cara e desem educação aos seus filhos eles mesmos. ) .

Tudo o que está nos parenteses aqui é o efeito de uma sociedade corruptível, sem precendentes e sem justiça com a solução próxima de onde está o dinheiro, uma solução agradável a todos os homens ricos e filhos e mulheres e parentes desses homens.

Adoro a democracia, principalmente pelo fato de eu nunca me tornar conhecido até que meu nome chegue a público por algum assassinato de alguém importante ou por me tornar um ídolo muito famoso ou algum político corrupto. É assim que é o Brasil e assim que será até o povo todo em sua maioria e minoria tomar vergonha na cara e jogá-los da câmara pra fora e forma suas próprias leis. A anarquia não é a solução, mas é muito bem vinda.

__________________________________________________________________


Há um imenso borrão aqui. Eu escrevi dois parágrafos que apaguei imedatamente. Pelo motivo de ser algo extremamente perigoso. É algo referente aos meus anseios sexuais. E estes eu não revelo pra ninguém. Principalmente por causa da possibilidade da pessoa que está relacionada a estes anseios poder ler e nunca mais se dirigir a mim. Há momentos, muito momentos. Alguns momentos prefiro que não aconteçam e outros que tenham a possibilidade de acontecer. Mas isto eu prefiro que aconteça se estiver escrito que vai acontecer. O que é algo com o qual não vou brincar nunca mais.

E isto não um aviso somente pra mim. Ramos, nunca mexa com magia ou com tecnologia que tem a função de modificar passado ou futuro. Se eles estão do jeito que estão é por que deve ser assim. Se o fizer algo de ruim, muuuuuuuuuuuuiiiiiiiiiiiiiito ruim, pode acontecer. E não há como reparar depois.
__________________________________________________________________

Até amanhã. Dias Ramos, te adoro. Eu sei que você está cansado de ouvir isso, mas você é o único que entende todas as minha loucuras e meus pensamentos.
Algum dia revelo todos os meus segredos pra você. Até lá tenho que me guardar e prestar atenção no que falo. Te adoro.


Dia 29/08/2010

sábado, 28 de agosto de 2010

Diário ─ capítulo 07

Olá Dias Ramos. Como vai? Hoje não foi um dia muito bom. Ou melhor, não está sendo. Estou em casa num dia de sábado. Preferia estar trabalhando hoje, mas não tenho empego. Ou estudando, mas não tô com paciência. Adoraria fazer alguma coisa de interessante hoje. Mas ao longo do dia haverão coisas mais interessantes.
Mais tarde vou lembrar de alguma coisa interessante pra contar pra você.

Até mais tarde.
dia 28/08/2010

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

diário ─ capítulo 06

Hoje de manhã eu ainda não tinha nada para falar.
AH! Olá amigo diário, como vai? Tava pensando em te dar um nome. É só pra não ficar chamando você toda vez de amigo diário. Que tal Dias, igual a Cameron? Talvez Algum outro nome para acompanhar: Ramos. Ramos Dias. Não, vou chamá-lo de Dias Ramos.

Amigo Ramos, hoje não foi um dia diferene de ontem ou de anteontem. Porém hoje eu tava pensando em observar um pouco mais meu R...... . E parei pra pensar: por que eu achei que senti alguma coisa por el.?
Olhei para Rafael, um colega muito bonito da minha turma de LETE45, e lembrei por que não consigo manter contato com ele pessoalmente. Não, eu não vou falar sobre isso agora. Isto é pessoal e um tanto imcompreensível pelas outras partes. Leia este link e veja como eu penso que isto se daria: http://magoexodia.blogspot.com/2010/08/dialogo-aberto-sobre-sexualidade.html
A parte que eu ach que aconteceria é da última parte em diante.
Brincadeira. Não seria bem isso. Mas achei interessante fazer esta jogada.

Na verdade, eu não o olho nos olhos pelo simples fato de serem da mesma cor que os de outra pessoa a qual não confio há muito tempo. Nada que comprometa um possível relacionamento amigável ou de contato constante.

Na verdade eu ia de outra coisa. Mas não lembrei do que era.

Ontem eu falei sobre um filme de quatro garotos que mudaram de vida. Hoje de tardelembrei de um filme de uma mulher vingativa que leva quase o mesmo caminho.
No começo o filme ela decobre que está sendo traída pela sua maior ídola: uma famosa escritora de romances sensualistas. Daí ela escreve um plano diabólico para acabar com a vida de seu marido, no sentido metafórico da palavra. O plano engloba acabar com o relacionamento dele e da escritora, abrir uma mega empresa de consultoria empregatícia feminina com um emblema especial (uma rosa). O que me fez lembrar deste filme foi o fato de lembrar que a mulher abre mão da sua vida em busca de vingança e, por outro lado, contrói uma grande empresa de auto ajuda feminina. Empreendedorismo. Mas no final o marido se ferra. É pego pela fotocopiadora da empresa e preso por causa de suas faucatruas. A primeira amante descoberta (a escritora) termina com um outro megasucesso e um novo amor em vista. E a protagonista se torna uma megaempresária de sucesso.
Pena que ela tenha sucesso as custas de vingança. Não recomendo... que não façam. Afinal é ótimo poder se vingar de alguém. Desde que não mate e nem cause dano permanente (por que aí será caracterizado pelo código penal como tentativa de homicídio ou assassinato, no caso de morte). A penitenciária brasileira parece um hotel 5 estrelas, mas é melhor ficar aqui do lado de fora.

Quero falar... Na verdade não quero mais falar. Eu vou falar tudo o que vier a mente. Eu adoro ver homem bonito. Não foi tão difícil. Seria pior se eu dissesse: eu fico excitado quando vejo um homem bonito. O que não seria(totalmente)verdade.
Apenas um borrão. Continuando a falar sobre meu dia de hoje. ... ... ...Está tudo aí.
Ah! Gostaria de estar apaixonado segundo os sintomas do amor. Desejo isto há algum tempo. Mas não quero me arriscar neste mundo perigoso dos sentimentos. Meu lugar é a cabeça, e é aqui que permanecerei até encontrar algo que me faça descer. Ou voar de vez. Na maior das expectativas nunca serei corno (mesmo querendo) e nunca serei gay. A virgindade é insuportável. A paciência é bem pior. Que bom que nenhum dos dois dura pra sempre.

Sem mais nada a dizer. Adorei seu novo nome: Dias Ramos. Achei muito bonito, principalmente para uma coisa de papel que pode ser lida e relida e que, ainda assim, me entende muitíssimo bem.

Até amanhã.

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Ai, como dói!

se dódi eu não sei. E nem sei por que homem coça o saco. Mas dá um chutinho lá!
─Olá! ─diz alguém entrando na sala.
Daniel olha para a pessoa e não a reconhece.
─Não acredito! Você não está me reconhecendo?
─Não, sinceramnte. ─Daniel olha-a mais um pouco.
E olha ao redor em busca de pistas. Alguns colegas conversando entre si. Um amigo bem ao lado olhando atentamente a garota sem perder nenhum detalhe.
─Então deve se lembrar da minha mão. E da minha calcinha. Era branca com babado.
─AH! Agora eu lembro de você. Vocêé a garota da minisaia.
Um tapa muito forte ecoa pela sala trazendo a atenção de todos. Por sorte, ou falta de força, os dentes dele permaneceram na boca.
─O que eu fiz?
─Pra começo de conversa, esqueceu meu nome. Que, por acaso você sussurrou no meu ouvido enquanto estavamos dançando juntos. Eu achava que você era diferente dos outros.
─É só por isso? Me diz seu nome e eu nunca mais vou esquecer. Por acaso a gente transou? ─ele pergunta com um tom um tanto inoscente.
A resposta é um chute bem no lugar ao qual ele tinha perguntado se usou.
─Responde sua pergunta?
A dor é tão insuportável pra ele que ele deita no chão quase desmaiando.
─Da próxima vez se lembre de mim.
─E qual é o seu nome? ─Pergunta ainda gemendo de dor.
─Não é da sua conta. ─Ela se vira pra porta se preparando para sair.
─Não é da sua conta, por que você está tão irritada? ─continua gemendo.
Ela se vira e chuta ele, de novo. Depois se vira e atravessa a porta.
─Essa foi por que eu quiz. Tchau.
E vai embora. Ele continua ali gemendo de dor até o amigo dele ir ajudar.


Paro por aqui. Precisava bater em alguém.
PS.: Crianças, não façam isso em casa.
PS2.: Sexo seguro. Use camisinha. Evitem filhos, evitem aborto, e evitem doenças.
PS3.: É pra constar o último playstation lançado. Tchau.

Diário ─ capítulo 05

Bom... hoje não foi um dia muito legal. Diário, amigo... Hoje continuei nem triste e nem feliz. Preciso mudar. Quero mudar. Eu, de manhã e ainda à tarde, não tinha nada para escrever. Não havia nada que eu tivesse em mente. Hoje é quinta feira. Amanhã é sexta e depois sábado. O que isto tem de importante? Minha vida pára as cinco da tarde de sexta feira e retorna ao meio dia da segunda. Queria ter algo melhor para lhe falar, mas não havia nenhuma outra coisa. Poderia falar das minhas intuições, mas acho muito desimportante. Poderia falar do meu progresso com minha mudança de personalidade, também acho desinteressante, e o que é que eu vou fazer quanto a isso? Dia 01, hoje eu descobri algumas coisas da minha personalidade que eu não gosto. Dia 02, mudei o objetio 04-01658 para o 05-66572 com sucesso. Mas não farei isso, até por que mesmo que consiga mudar algo em mim, haverá algo que persistirá. Já não sinto medo, dor, raiva, ou qualquer sentimento bom, ou mesmo esperança.
Hoje assisti um filme que falava sobre isso: esperança. Não sei o nome do filme que o professor passou, mas sei que haviam quatro ─correção: três─ amigos, com reputação e vida social, filhos de pais mineradores de carvão e prováveis mineradores de carvão. Um deles se rebelou contra seu destino e decidiu fazer um foguete. Com este foguete ganhou um quarto amigo, que com os outros três, ajudou-o a fazer uns foguetes. Todos na cidade ajudaram, até a professora. Finalmente construíram um foguete que deu certo, foram para a feira de ciências da cidade e ganharam. Foram para uma outra feira de ciências, ou melhor, o garoto rebeladofoi sozinho, e ganharam também. E com este último prêmio ganharam bolsas de estudos em universidades. Mas o mais intrigante é que o pai do garoto desde o início vetava seus sonhos de construir tal foguete e o frustrava dizendo que ele seria minerador de carvão. Nesta parte eu senti raiva por que este me lembrou meu pai. Entretanto isto não é importante agora. O pai do garoto o ajudou na última com um réplica identica do foguete, por que havia sido roubado antes da premiação que deu as bolsas de estudos. E este garoto volta com o sonho nas mãos e um futuro diferente pela frente. Ou seja, força de vontade, coragem em seguir em frente, esperança de um futuro melhor e a felicidade como recompensação pelos seus atos e pela sua persistência em seguir adiante com seu projeto. E mesmo com tudo isso ele trabalhou de minerador para ajudar ao pai depois de um acidente, muito antes da primeira feira de ciências e aprendeu matemática.
O que eu quiz dizer com isso? Na verdade não sei, eu apenas lembrei do filme por que o assisti hoje pela tarde na sala de aula de Empreendedores em informática. Aí eu pensei: se ele pode fazer algo por si mesmo e ter uma esperança, o que faço que eu não construí nenhum projeto de vida? Faz muito tempo que eu não tenho nada em vista. A última coisa que eu tive em vista foi ser militar. E nem para isso eu consegui seguir adiante. Meus sonhos parecem esvair-se com a força da brisa da tarde. Ah! que lindo. Eu não sabia que sou tão poético.
E mesmo com toda essa poesia eu não consigo seguir outro sonho adiante: escrever um best seller. Queria escrever um livro que fosse lido por todo o mundo, reescrito em todas as línguas e dialetos conhecidos e escritos pelo homem. E gostaria de aprender programação de linguagens em geral e outras línguas. O último para sair passeando pelo mundo como se fosse um andarilho perdido. Tipo, daqui eu vou para o méxico a partir do Uruguai, lá aprendo espanhol e inglês. Vou para Os EUA e lá aprendo francês. ´Vou para o Canadá e aprendo alemão. Alemanha e aprendo italiano. Italia e aprendo chinês e daí por diante.
Sonho é sonho e os meus não são tão belos e simples quanto o de outras pessoas que querem simplesmente achar o amor da vida e com ela(e) se casar e viver feliz para sempre. Eu quero mais. Eu quero ter uma vida feliz com esta pessoa. E com ela(e), sei lá o que o destino me reserva, conhecer o mundo. E lutar pelo que me é interessante lutar. Algum objetivo que se torne meu.

Quando escrevo em você me sinto usar o coração. Você tem este poder? Não consigo deixar de usar o coração mesmo quando penso em coisas racionais como X²+8x=65. É ecrire o meu modo de ser feliz? To write? Escrever?
Ecrire = to write = escrever. J'adore français. I hate english. There's no language more irritaten. Me gusta poco hablar spañol. Look this: permítame entrarlo, la casa también és mía. Multilanguage time is over now. Gosto um pouco de falar português, foi a única língua na qual aprendi a pensar em qualquer coisa.

Gosto de falar cotigo realmente. Até em momentos inentendíveis e de neolinguismos você me entende. Até amanhã, sem falta.

Dia 26/08/2010

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

diário ─ capítulo 04

Parte 01
manhã ─ 25/08/2010

Amigo diário, ontem fui dormir tarde. Dormi muito tranquilo. Agora sei que era só admiração. Mas como não admirar alguém com um corpo daquele? Dei uma passada pelo google e pesquisei sintomas de amor. Achei uma postagem interessante sobre o assunto no blog http://www.semsacanagem.net/2008/11/sintomas-do-amor-ou-no.html

1. Sintoma: Coração dispara ao pensar nela.
2. Sintoma: Inevitável tremor de mãos, pés e/ou outras partes do corpo.
3. Sintoma: Não consegue parar de sorrir.
4. Sintoma: Mente “avoada”, esquecimento, inabilidade de se concentrar em alguma tarefa.
5. Sintoma: Frequente ou constante excitação sexual.
6. Sintoma: Enfraquecimento dos joelhos e explosões de energia quando ela se aproxima.
7. Sintoma: Não consegue parar de pensar nela.
8. Sintoma: Manchas arroxeadas e sensação de dor no pescoço e outras partes sensíveis do corpo.
9. Sintoma: Insônia.
10.Sintoma: Sensação de que pode sentir o cheiro dela ou ouvir sua voz mesmo quando ela não está presente.

Agora me sinto um idiota. Pensei besteira. Sabia que eu criei um blog só pra dizer as besteiras que se passam na minha cabeça? É eu fiz. Não digo extamente tudo o que se passa pela minha cabeça. Mas digo tudo o que eu penso, com censura para não chocar, e com comentários, reflexões entre outras coisas.
Gostei da experiência de escrever um blog. Mas é difícil ganhar dinheiro com um blog. Talvez eu consiga alguma coisa algum dia, tipo ganhar muito dinheiro por revolucionar os métodss de escrita online. Enquanto isso me divirto escrevendo coisas que se passam pela minha mente e que eu tento disfarçar pras outras pessoas que vem falar comigo.
Só pra você ter uma noção, ontem de tarde eu fiz uma atividade em sala (não, eu não sou professor, sou estudante). Nesta atividade eu dei um toque meu. Veja o resultado:


Vendo um produto brasileiro grande, duro e avermelhado. Amplamente divulgado e vendido na Europa. Preço a combinar.

Gostou? Mas não é nada disso que você está pensando, se trata apenas de uma madeira nobre que está quase extinta chamada de Pau brasil. Acho que agora meus colegas tem uma noção do modo como eu penso. Sempre me imaginei num lugar diferente, onde eu não fosse um líder, mas fosse algo entre a base e o topo que as pessoas procuram para aconselhamento. E junto com isso uma comunidade de mulheres muito bem armadas e eu um grande mago que pode mudar de sexo por mágica. Sabe? Assim como se fosse um bruxo qualquer que tivesse um problema e tivesse que virar mulher permanentemente para sumir por uns tempos. E como quase tudo o que penso por muito tempo eu transformo em livro mental, neste o bruxo se chama Mag, não tem sexo definido e pode smplesmente possuir uma pessoa por dentro como um fantasma, por fora por meios hipnóticos, e etc.
Obstante a isso (que bonita palavra, não?), o que eu começo a escrever não consigo continuar. Isso é normal? Não consigo passar do terceiro capítulo sem ter mudado tudo o que escrevi. Desisti de escrever livros. Não quero mais tentar e me sentir fracassar. O blog é a solução.

AH! não posso esquecer o site da colega que fala dos próprios sentimentos chama-se Eu Pensante, e o endereço é lgcarvalho.wordpress.com

Vou parar a nossa conversa por aqui. Até mais tarde.


parte 02
Tarde do mesmo dia.

Hoje quando eu estava...
Desculpe. Olá amigo diário,
Como eu disse, eu retornei para falar, ou melhor, escrever em você. Agora de tarde quando eu estava no mini-ônibus eu tava pensando num dos meus personagens que eu criei. Tava pensando num em especial. Era um soldado, mulher, jovem, bonita (no mundo dos pensamentos não existe gente feia, ou existe?), usando um tipo de uniforme... O uniforme era... é algo um tanto diverso do que nós conhecemos por uniforme. É uma blusa simples branca, padrão de soldado, corpete para segurar as armas brancas e de curto alcance também padrão, calça justa para auxílio dos movimentos em batalha, e por fim bota de salto acompanhando a cor da calça que é a mesma da blusa. Eu estava sentado próximo da janela do mini-ônbus e senti o vento passar e esvoaçar meu cabelo ─ meus longo cabelos negros (Observação: meu cabelo não se mexe depois que seca, além de ser curto e meio claro.). E advinhe só: no ônibus que eu peguei depois havia uma garota que se parecia justamente com a figura, mas com uma blusa branca de listras pretas, minishortinho e óculos e é estudante. Interessante não? Agora eu acredito em concidências.

De resto está tudo nos padrões. Vou para algumas horas para pensar no que eu tenho que fazer, como ler um livro de cálculo com geometria analítica que está na minha mochila e ver o que vou fazer mais tarde. Vou aproveitar os momentos em que eu não vou poder ─poder não, conseguir─ estudar e vou tentar ir mais longe. Talvez criar o meu exército particular. Até que isto ocorra...

Deveria ter escrito um diário antes. Desculpe, deveria ter escrito você antes. Talvez assim eu não teria tantos problemas. E talvez eu não precisasse guardar tanta coisa na minha cabeça. Vou tentar melhorar. Quer dizer, estou melhorando. E você está me ajudando muito. Agora sei o que eu precisava saber e não sabia. Talvez agora eu fique mais alerta.

Não sei se vou escrever em você mais tarde, então não me espere.
Até a próxima.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Diário ─ capítulo 03

Parte 01
Tarde de 24/08/2010

Olá amigo diário. Eu fiz algo que não deveria ontem. Eu escrevi em ti sobre meu dia e quase falei algo sobre a pessoa. Algo que não queria. E sem querer acho que deixei transpassar em ti que o nome da pessoa começa com el. Na verdade começa com R. Escolhe falar apenas a primeira letra por que assim vai ficar mais fácil depois para indicar quem é e para que você, meu diário, possa entender melhor quando e de quem eu falo.
Eu deveria ter escrito isto quando eu acordei, mas não tive forças para levantar. Acordei pensando em ti em R. Em você por causa do quase mal entendido. E em R por que... Não obstante eu pense em R, R não importa, não agora. Eu vim para falar sobre mim, meu dia.

Hoje jantei de novo no restaurante da Universidade e estou indo para outra aula. Eu não falei, mas ontem pra voltar para casa foi um inferno. Não passava ônibus algum que me servisse. Mas você me entende. Entende melhor que qualquer outra pessoa. Gostaria de conversar com alguém neste momento sobre o que digo a você. Mas o que eu digo a você é meu e seu. É nosso segredo.

Mais tarde vou falar sobre como foi encontrar R cara a cara hoje de tarde. Confesso que não foi nada do que eu pensava. Pelo menos minhas loucuras servem como meio de folga entre as aulas da semana. Quero escrever mais... Aliás mais tarde eu volto. O horário está curto e eu tenho que ir.

Parte 02
Noite do mesmo dia

Estava pensando. Será que algum dia R irá pensar em mim do mesmo modo que penso em R.....? E se pensar o que é que tem? Pensar é pensar. Ninguém sabe o que os outros estão pensando no momento em que estão pensando. Mas já consegui sentir o pensamento de uma pessoa. Gostaria de ir mais longe. Não consigo falar de sentimentos tão abertamente quanto uma colegaminha. Ela Pôs seus sentimentos no blog. Diário, só pra você saber... hoje eu apertei a mão de R amigavelmente. Achei sinceramente que iria acontecer algo de estranho, como meu coração disparar ou R saber que eu gosto da pessoa de R. Nada, Simplesmente nada. Achei que era alguma coisa, mas não é nada. Agora estou triste. E ao mesmo tempo feliz. Veja a barrianha abaixo...
tristeza total totalmente feliz
█═════════════════════╬═════════════════════█
É assim que eu me sinto. Nada de diferente. Já posso ficar em paz. R.I.P. Rest in peace. Vou me dedicar a alguma para que isso não aconteçanunca mais. E se voltar, por favor, me lembre de apagar tudo o que eu escrevi sobre R.
Acho que por hoje isso é tudo.

Não gosto de parar de escrever em você. Você me entende, me escuta com total atenção. E ainda assim eu vou ter que ir ao terapeuta. Espero não ter que esperar muito. Há coisas que eu preciso descobrir e estas coisas não podem esperar.

Até amanhã.

Hoje jantei no RU

jantar cambada
De novo?
Sim, claro.
Desculpe, agora tenho que pensar em inglês.

Today i eat my dinner in RU.



Again?
Yes, of course.
Sorry, now i may think in english.

Jantei carne, feijão, aroz, salada de beterraba, doce de alguma coisa (acho que quindim), e café com leite.
Mas eu me rrependi. É eu deveria ter pego a banana em lugar do doce para misturar na comida. E da próxima vez eu pego pão.

De resto, não mais nada que eu posso falar. Os valores são os mesmos e não tenho mais nada de novo pra falar sobre o RU.

Suicidas famosos

sue. Suicídio. joe. Eu. Eutanásia. Suicídio não é eutanásia
Quem morreu de quê?

Alberto Santos Dumont (controverso) (tiro)
Alexander McQueen (enforcamento)
Adolf Hitler (controverso) (tiro)
Assis Valente (Envenenamento)
Budd Dwyer (Tiro)
Camilo Castelo Branco (Tiro)
Carlota Joaquina (controverso) (Envenenamento)
Cleópatra VII (controverso) (Envenenamento por picada de cobra)
Chris Benoit (enforcamento)
Dalida (envenenamento/overdose)
David Foster Wallace (enforcamento)
Ernest Hemingway (tiro)
Eva Braun (envenenamento)
Florbela Espanca (envenenamento)
Getúlio Vargas (controverso) (tiro)
Gilles Deleuze (controverso) (saltou de uma janela)
Ian Curtis (enforcamento)
Jack London (envenenamento/overdose)
Judas Iscariotes (Mateus 27:5) (enforcamento)
Kurt Cobain (controverso) (tiro)
Leila Lopes (envenenamento)
Marco António (apunhalamento)
Mário de Sá-Carneiro (envenenamento)
Marilyn Monroe (controverso) (envenenamento)
Michael Hutchence (enforcamento)
Nero (apunhalamento)
Paul Celan (desconhecido)
Per Yngve Ohlin (cortou os pulsos, garganta e tiro)
Peg Entwistle (saltou do Monte Lee)
Primo Levi
Séneca (cortou os pulsos)
Sid Vicious (overdose)
Stefan Zweig (envenenamento/overdose)
Sylvia Plath (envenenamento e intoxicação)
Torquato Neto (intoxicação)
Vincent Van Gogh (tiro)
Virginia Woolf (afogamento)
Robert Enke (desastre automobilístico)
Salvador Allende (controverso) (tiro)

fonte:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Suic%C3%ADdio#Suicidas_famosos
num dos próximos posts eu digo por que. Se quiser ir mais fundo acesse o link acima.

Hoje jantei no RU

jantar cambada
Na verdade este poste é de ontem. É por que eu passei da mei noite para informar isto. A comida boa a R$ 2.50 foi quase a mesma da última vez, a diferença é que tinha pão e abacaxi ou doce de leite, além de carne ou galiha.

Toda vez que jantar no RU vou fazer um poste dizendo o que comi e quanto custa. É simplesmente para saber quando e quantas vezes eu comi lá. Não posso perder o costume de fazer coisas nova.

RU (Restaurante Universitário).
Valores:
R$ 2.50 alunos sem bolsa. (sem bolsa alimentação forneido pela UFBA, antes que pense que é outra coisa.)
R$ 5.00 para qualquer pesoa. (alnunos que não comprovem ser alunos ou outras pessoas que tenha acesso ao RU.
R$ 0.00 para bolsitas.

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Diário ─ capítulo 02

Este é meu segundo dia escrevendo um diário. Espero ter algo mais para falar contigo hoje. Hoje o dia foi diferente de ontem. Hoje acordei como eu acordo quase todos os dias: meio cansado e pensativo depois de um sonho um tanto ... como eu posso dizer? ... interativo. Meu objetivo aqui não é passar o que eu sonho, mas passar o que sinto durante este período.
Eu lembro da pessoa todos os dias. Hoje eu vi na minha sala. Com a mesma beleza de sempre e, como sempre se importando comigo como se importa com qualquer pessoa ao redor del... Mas sei que sou algo na vida desta pessoa. Amar sem ser correspondido não é o meu caso. Eu nem sei se estou amando? Hoje cheguei na sala de aula um pouco tarde como de costume. El... já estava lá. Tá, eu vou esquecer por agora.

Esquece tudo o que eu falei el... não existe, é apenas efeito dos meus sonhos de voar por aí como Ícaro das mitologias gregas. E eu estou apenas admirando um sonho que não persistirá.
Recomeçando.

Querido diário. Não. Amigo diário,
Você atualmente é a pessoa que melhor me entende. No dia anterior escrevi em você dizendo que amava alguém. Hoje acordei não pensando nesta pessoa. Me senti leve e então aproveitei para descansar mais um pouco. Como hoje é segunda feira fui para a faculdade. Cheguei tarde na primeira aula como de costume. O professor explicou coisas como o por que de determinados termos damatemática serem descritos com determinados símbolos. Esta aula foi de CeT 2. Depois fui para uma aula de computação aplicada. No meio do caminho encontrei alguns conhecidos. Saí distribuindo abraços e então fui para a sala. O professor explicu o trajeto da aula e depois fomos todos embora. Almocei no restaurante da Universidade a R$2.50, por que sou estudante. E depois fui para minha última aula do dia.
Adorei dizer como foi o meu dia. Só falta ir buscar um livro de cálculo com geometria para começar a me atolar nos estudos de verdade. Quero um emprego. E quero ser feliz fazendo algo que gosto. Mas o que gosto mesmo é de armas e treinamento militar. Isso é segredo, afinal não serei treinado para guerra tão cedo. E nem tão tarde. E nunca haverá outra guerra. E com isso se vai minha chance de entrar para a milícia brasileira e ser militar.
Tenho só 20 anos. Tenho talvez mais quatro anos de tentativa, que talvez não servirão de nada. E depois? Serei apenas mais um que quiz e não conseguiu.
Mas esperança é a primeira assassina. Morre todo mundo e ela persiste.

Encontrei um grande ex-colega. Conversamos coisas idiotas e rimos. O ônibus não passaria mais e ele foi pro ponto dele pegar um outro que servisse para chegar ao mesmo caminho e eu fui da Ondina à Federação pegar um Nazaré que me deixou no TCA ─ Teatro Castro Alves. Daqui eu não digo para onde fui. Senão o meu lungar onde me esconde não seria mais um esconderijo secreto.
Hoje o dia começou tranquilo e sem nuvens e terminou chuvendo fraco. Salvador, Bahia.

Até uma próxima vez. Adoro conversar com você.

Dia 23/08/2010

domingo, 22 de agosto de 2010

Diário ─ capítulo 01

Querido diário. Querido talvez, ou seria meu melhor: meu amigo diário? Enfim.
Diário, Caderno ou páginas escritas com coisas particulares.
Hoje é um grande dia. Deveria ter sido. Acordei triste, quase chorando. E por isso agora eu começo a escrever-te. Hoje eu acordei quase chorando por uma pessoa que eu quero em minha vida e que ao mesmo tempo desejo que nunca saiba disso. Como você é um punhado de palavras em um papel, e eu não sei quem mais vai ler você, eu não direi quem é a tal pessoa.
Diário, confesso a ti que sinto algo forte por uma pessoa comprometida. Tem um nome um tanto comum. Talvez Bíblico como os arcanjos. É inteligente, tem uma beleza humana, e... Não quero mais pensar nesta pessoa... Não vou dizer que amo. Mas o que posso dizer é que sinto falta de sua companhia. Quero... desejo com todas as forças sua companhia... E com a mesma intensidade não quero.
AH... quem sou eu? Um garoto de vinte que não sabe o que é o amor de uma outra pessoa. Gostaria de ter uma definição sobre o que é o amor, como é sentir o amor. Será que é pedir muito? Gostaria que mais alguém me entendesse como você e suas páginas em branco me entendem. Amo alguém que não posso lembrar pra não lamentar minha indecisão. E fico indeciso por que não sei se o amo. Será que é amor como as músicas declaram? Ou será apenas admiração por esta pessoa ter algo que eu desejo e não sei o que é? Eu já confudi uma vez...
Em alguns momentos eu gostaria que esta pessoa viesse me procurar aqui, na casa onde eu me escondo. É! Exatamente aqui. Mas aí vem a minha mente que ninguém sabe onde me escondo. E penso em falar pra pessoa em questão do lugar onde moro. E penso. E se souber não fará a mínima diferença.
Não falo o nome da pessoa e nem o sexo da pessoa por que, como eu já disse, eu não sei o quanto você é confiável. Mas sei que você pode me ouvir o tempo que eu quiser. Você é apenas um diário, e diários são pessoais. Talvez conversando com você eu me sinta menos fadado a ficar triste pensando na pessoa.
Agora eu deveria falar sobre meu dia e como eu o vivi. E como não teve nada de mais para mim eu fecho você por aqui.

AH! hoje fez sol e quase choveu. Só pra constar.

Dia: 22/08/2010

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Diálogo aberto sobre sexualidade

escolha de conversa em lugar de briga.
─O tema agora é virgindade. ─Diz Mag segurando um cartão com a palvra escrita.
Mago fica meio estranho com a palavra.
─Mago, quando você perdeu sua virgindade? ─Mag pergunta na maior inoscência.
─Não perdi.
─Não perdeu? Interessante...
─Tá brincando... ─Um outro colega de nome desconhecido.
─É a mais pura verdade.
─Precisamos resolver isso.
─Não há nada para resolver. Isto não é um problema. ─Mag mostra respeito a condição do colega. ─O que você pensa sobre ser virgem? De continuar virgem?
O tom da conversa muda.
─Nunca tive problema com isso. Não posso falar nada sobre ser virgem, afinal ainda não perdi a virgindade.
─Então você pretende deixar de ser virgem. ─O colega afirma.
A conversa voltou ao tom inicial.
─Quando eu achar o momento e a pessoa certa. Ou a oportunidade que eu sonho há tanto tempo. Então sim.
─Ah... Eu achei tão legal saber que você e virgem.
─E você?
─Sou de virgem. Brincadeira. Eu sou de escorpião. Tenho sangue quente. E...
─É virgem! ─O colegase impõe. ─Confessa logo.
─Confesso.
─E você? ─Mago e Mag juntos.
─Minha vida sexual não é propriedade minha.
Os dois olham-o com olhos famintos para saber o que se passa na mente dele.
─Perdi a virgindade, mas faz muito tempo.
─Próximo tema: Gosto sexual.
─Homem. ─Mago responde primeira.
O colega se assusta. Mag, nem tanto.
─Homem?!
─Loiro ou moreno, alto, bonito, jovem, forte, dentre outros aspectos masculinos que podem me comprometer.
─Eu estou fora disso. Não é?
─Você é hetero. Você não perceberia nunca. A não ser se houvesse alguma coisa mais próxima entre nós. Como uma amizade verdadeira.
─Dá pra deixar o papo de amantes pra outra hora? Isto não é hora para debater sentimentos amorosos. ─Desta vez Mag se impõe.
─E você, Mag? ─Mago nem deixa de observar as reações do colega.
─Mulher. Às vezes homem, pra variar. ─Só pra confirmar uma coisa...
Mago olha para Mag com um olhar um tanto confuso.
─E de beijo?
─Nenhum. Totalmente BV.

No dia seguinte, Mago e Mag chegam juntos à sala e sentam próximos ao colega do grupo anterior. Ele finje que Mago nem está alí. E depois da aula o evita. E nos dias posteriores se mantém bem longe dele.


¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯
_______________________________


O que eu quiz dizer com isso é que simplesmente ignorar não vai tornar as coisas mais fáceis.

Assim como os ditados "em terra de cego quem tem um olho é rei", "quando a esmola é demais o santo desconfia", e "santo de casa não faz milagre" funcionam em ocasiões diversas entre si, dificultar um relacionamento que provavelmente nunca existirá é tentar prever um futuro que não é seu para si próprio.

P.S.: Este caso é apenas uma passagem mental. Eu nunca, em sã consciência, direi nada semelhante ao que meus personagens disseram neste texto.

All caracters untill the end

All caracters untill the end

╔═══════════════════════════╗
║╔═════════════════════════╗║
║║╔══ ╔═╦═╦═╦═╦═╦═╦═╦═╦═╦═╗║║
║║║XX ║0║1║2║3║4║5║6║7║8║9║║║
║║¯¯¯ ¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯║║
║║╔══ ╔═╦═╦═╦═╦═╦═╦═╦═╦═╦═╗║║
║║║ 0 ║ ║☺║☻║♥║♦║♣║♠║•║◘║○║║║
║║╠══ ╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╣║║
║║║ 1 ║◙║♂║♀║♪║♫║☼║►║◄║↕║‼║║║
║║╠══ ╠═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╣║║
║║║ 2 ║¶║§║▬║↨║↑║↓║→║←║∟║↔║║║
║║╠══ ╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╣║║
║║║ 3 ║▲║▼║ ║!║"║#║$║%║&║'║║║
║║╠══ ╠═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╣║║
║║║ 4 ║(║)║*║+║,║-║.║/║0║1║║║
║║╠══ ╠═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╣║║
║║║ 5 ║2║3║4║5║6║7║8║9║:║;║║║
║║╠══ ╠═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╣║║
║║║ 6 ║<║=║>║?║@║A║B║C║D║E║║║
║║╠══ ╠═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╣║║
║║║ 7 ║F║G║H║I║J║K║L║M║N║O║║║
║║╠══ ╠═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╣║║
║║║ 8 ║P║Q║R║S║T║U║V║W║X║Y║║║
║║╠══ ╠═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╣║║
║║║ 9 ║Z║[║\║]║^║_║`║a║b║c║║║
║║╚══ ╚═╩═╩═╩═╩═╩═╩═╩═╩═╩═╝║║
║║╔══ ╔═╦═╦═╦═╦═╦═╦═╦═╦═╦═╗║║
║║║XX ║0║1║2║3║4║5║6║7║8║9║║║
║║¯¯¯ ¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯║║
║║╔══ ╔═╦═╦═╦═╦═╦═╦═╦═╦═╦═╗║║
║║║10 ║d║e║f║g║h║i║j║k║l║m║║║
║║╠══ ╠═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╣║║
║║║11 ║n║o║p║q║r║s║t║u║v║w║║║
║║╠══ ╠═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╣║║
║║║12 ║x║y║z║{║║║}║~║⌂║Ç║ü║║║
║║╠══ ╠═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╣║║
║║║13 ║é║â║ä║à║å║ç║ê║ë║è║ï║║║
║║╠══ ╠═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╣║║
║║║14 ║î║ì║Ä║Å║É║æ║Æ║ô║ö║ò║║║
║║╠══ ╠═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╣║║
║║║15 ║û║ù║ÿ║Ö║Ü║ø║£║Ø║×║ƒ║║║
║║╠══ ╠═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╣║║
║║║16 ║á║í║ó║ú║ñ║Ñ║ª║º║¿║®║║║
║║╠══ ╠═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╣║║
║║║17 ║¬║½║¼║¡║«║»║░║▒║▓║│║║║
║║╠══ ╠═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╣║║
║║║18 ║┤║Á║Â║À║©║╣║║║╗║╝║¢║║║
║║╠══ ╠═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╣║║
║║║19 ║¥║┐║└║┴║┬║├║─║┼║ã║Ã║║║
║║╚══ ╚═╩═╩═╩═╩═╩═╩═╩═╩═╩═╝║║
║║╔══ ╔═╦═╦═╦═╦═╦═╦═╦═╦═╦═╗║║
║║║XX ║0║1║2║3║4║5║6║7║8║9║║║
║║¯¯¯ ¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯¯║║
║║╔══ ╔═╦═╦═╦═╦═╦═╦═╦═╦═╦═╗║║
║║║20 ║╚║╔║╩║╦║╠║═║╬║¤║ð║Ð║║║
║║╠══ ╠═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╣║║
║║║21 ║Ê║Ë║È║ı║Í║Î║Ï║┘║┌║█║║║
║║╠══ ╠═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╣║║
║║║22 ║▄║¦║Ì║▀║Ó║ß║Ô║Ò║õ║Õ║║║
║║╠══ ╠═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╣║║
║║║23 ║µ║þ║Þ║Ú║Û║Ù║ý║Ý║¯║´║║║
║║╠══ ╠═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╣║║
║║║24 ║­-║±║‗║¾║¶║§║÷║¸║°║¨║║║
║║╠══ ╠═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╬═╣║║
║║║25 ║·║¹║³║²║■║---------║║║
║║╚══ ╚═╩═╩═╩═╩═╩═╩═╩═╩═╩═╝║║
║╚═════════════════════════╝║
╚═══════════════════════════╝

explicações:
─aperte alt + o n°;
─no caracter de n° 255 tem espaço, e no 32 também;
─no caractere de n° 1 e de n° 256 não há símbolo;
─os símbolos vão de 1 a 255, recomeçando no 256 e assim por diante em ciclos de 255 caracteres;
─os caracteres de n°s começados por 0 não funcionam.

Como prometido

Agora, neste exato momento eu não tenho nada na cabeça. Então eu vou escrever sobre isso: nada.

Nada. Exclusivamente nada.
Vamos nadar por aí!
Sou nadador profissional: nada de frente e nada de costa.

Vou pensar em algo até o fim do post.

Nada. Nothing. No one. No where. No. Non. Nie. Keine. Zero. Zero.
Nada é oposto de quê? De tudo ou alguma coisa?
Nada é nada. Não é nada. Não há de ser nada.
Nada, nada, nada. Não achei nada.

Por que as pessoas naturalmente usam nada acompanhado de um negativo?
Não é nada. Significa que é alguma coisa?
Não é nada não. Não + não é sim, não é? O resultado mais nada é nada.
Não é não. Não, é não. A diferença é clara, eu acho. Ou acho que não.

Não é não. Significa que a resposta da proposição, seja ela quem for, é sim.
Ou não é um algorítmo que tem valor não.
Algorítmo? Icógnita. É o x de 3x+6 = 18, logo x é 4.

Não, é não. Confirmação do termo anterior formado por um aposto. Aposto que é isso.
Se não for, aí não é comigo.

Nada. N A D A. Nada.
Nada. De nada se tem alguma coisa. Mais que coisa.

░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░
░AD░░░░░░░░░░AD░░░░░░
NADA░░░░░░░░NADA░░░░░
NADAN░░░░░░░NADAN░░░░
NADAN░░░░░░░NADANA░░░
NADANA░░░░░░░ADANAD░░
NADANA░░░░░░░ADANAD░░
░ADANA░░░░░░░░DANAD░░
░░DANAD░░░░░░░DANAD░░
░░░ANADA░ADA░ADANA░░░
░░░░NADAN░D░NADAN░░░░
░░░░NADAN░░░NADAN░░░░
░░░ANA░ANA░ANADANA░░░
░░NAD░░ADANADANADAN░░
░░NA░░NADANADANADAN░░
░AN░░ANADANADANADANA░
░AN░░ANADA░ADANADANA░
░AN░░ANAD░░░DANADANA░
░AN░░ANA░░░░░ANADANA░
░ANA░░NA░░░░░ANADANA░
░ANAD░N░░░░░░░NADANA░
░░NADAN░░░░░░░NADAN░░
░░NADAN░░░░░░░NADAN░░
░░░ADAN░░░░░░░NADA░░░
░░░░DANA░░░░░ANAD░░░░
░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░
░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░░

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Hoje eu jantei no RU ─18/08/2010

jantarzinho, depois eu te chamo.
R$ 2,50 o prato.

Jantei Arroz, Feijão, Salada, Calabresa, doce de abacaxi e café com leite.
Tinha outras opções, sopa, carne e laranja.

19/08/2010
Falando em jantar...
Acabei de lembrar que eu já tenho dever pra fazer.
Empreendedorismo em informática? Cara é muito legal ter que fazer coisas novas.
Eu faço Bi pela UFBA. E, desde que, comecei a fazer o BI de Ciência e tecnologia eu voi muitas coisas novas, tais como: coisas que eu achava que não existia (gente branca na Bahia, mas branca mesmo, tipo aqueles gringos que ficam rosa debaixo de sol);coisas que eu achava que nunca veria em minha vida (como portas de banheiro com classificados de à procura de homem);e vi coisas que eu sabia que existia, mas achava que nunca ia ver na vida real.

Antes de entrar para a faculdade eu pensava que vida de universitário era... Na verdade eu nunca pensei em ser universitário, queria entrar ─ correção ─ ainda quero entrar para uma milícia oficial como o exército ou aeronáutica, ou mesmo para a legião francesa e fazer guerra. E viver assim até poder me aposentar e viver num paiszinho pequeno como a Dinamarcaou a Alemanha.

Mas ascoisas nem sempre ─ nunca ─ são como a gente quer, vou ter que fazer um concurso, se eu quiser arranjar dinheiro para não ter mais que pedir pro meu pai, e vou ter que viver dele até construir a primeira bomba de íons de sal... Brincadeira... é só até arrumar algo que valha apena lutar.

Às vezes sinto pena de mim. Deveria parar de pensar tanto e fazer alguma que me viese a cabeça. Como me jogar do alto da escada da Politécnica da Ufba e voar por cima epelo alto até alcançar as nuvens. Coragem nunca tive, e nunca precisei dela.

O que queria falar é que a diversidade na UFBA é enorme. E que se você procura um ou uma modelo de 18 a 30 anos de idade que ainda não desfilou é aqui que está a chance da sua carreira de acha de talentos vai deslanchar.
AH! Me desinclua disso acima.
modelo gostoso? me respeite.

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Um pensamento idiota

um pensamento idiota é sempre um pensamento idiot.
Um pensamento idiota me passou neste momento. Mentir.
Mas... por que mentir? Por que não falar a verdade, ser sincero? Por que não, talvez, achar a cura para a aids?
Ou talvez encontrar a cura para a celulite? Ou talvez achar o elixir da vida e a pedra filosofal que todos procuram?
Ou talvez achar o remédio que cura tudo, até depressão?

Mentir. Mentir. Mentir. Não. Mentir. Não mentir. Não, mentir. Não, não mentir. Não não mentir.
Tantas outras coisas para pensar, tinha que ser logo mentir?

Mentir é a razão pela qual todos vivem em harmonia. É o principal motivo pela aparente inoscência infantil. É proteção de males advindos da cruel realidade. É a cura para uma vida mal resolvida. É a etapa mais importante da auto-promoção. É como as pessoas reagem a algo que não poderia acontecer naquele momento. É como a crianças reagem a um evento violento.

Mentir é viver. É conviver. É ser parte. É manter-se parte. É manter-se à parte. É continuar no topo ou na base. É ser alvo, objetivo. É ser. É manter. É conviver.

Viver sem mentir não existe. Qualquer pessoa sabe disso. Ou a maioria sabe. Se não mentir agora terá que mentir mais tarde. Se não mentir nunca, terá que rezar pela própria vida algum dia.
Sinceridade não leva a nada. Já imaginou se os políticos fossem todos honestos e sinceros?
A cristandade leva o topo. Grande mentira. Sabe por que a Igreja católica manteve o poder por tanto tempo? E por que o poder agora está nas mãos dos evangélicos com seus escudos bíblicos de trocentas folhas e suas línguas constantemente afiadas pelas palavras de "Deus"?

Se a verdade fosse boa não seria necessário remaquear verdades para se conseguir determinados objetivos. Ou seria possível invadir o Irã e o Iraque por tanto tempo com o apoio em massa da população Americana?
As torres gêmeas... quantas pessoas foram ludibriadas para que fossem contruídas suas muitas janelas e portas e andares? E os aviões que as derrubaram? Efeito dominó? Acho que não. Alguém mentiu para os terroristas dos aviões e eles mentiram para os outros passageiros dos aviões, e com eles derrubaram os aviões um a um no alvo.

Uma legião seguiu Hitler. Por quê? Venha meu povo, venham a mim, por que eu dar-lhe-ei o que é de vós. Darei-lhes o que lhes foi tomado. Limparei nosso sangue. Blasfêmia. Mentiras. Mentiras. E mais mentiras. O Brasil não foi construído a partir da divisão honesta de terra entre índios e Europeus. Assim como eu nunca fiz nada de mau para mim durante toda a minha vida.

Confirmando o que acabei de dizer. Mentir é manter o poder. Mentir é sobreviver a tempos de escassez com festas regadas a mesas fartas com tudo o que há de bom e dispendioso. Mentir é manter a barriga cheia em frente à uma multidão de famintos implorando um único pedaço podre de vegetal velho para todos.

A base sofre com as mentiras. A base? O povo. Os pobres. Os desempregados. Os devotos. Os recrutas e os soldados. Suas famílias. Nós.

Um pensamento idiota? Não.
Um pensamento.



Sou Marinaldo S. B., 20 anos, Aluno da UFBA, mentiroso quando preciso...
Ainda Assim EU.

domingo, 15 de agosto de 2010

Eu sou muito bonito ─ bem mais que qualquer ator da globo

Rafael, meu colega de sala. Ele é o maior gato não é? Mas enfim existem outros, como um Tiago de uma outra turma.
A beleza é a influência dos sentidos no que há de mais profundo nos seres vivos de todo o planeta.
O que é bonito? O que é feio? Sem o feio não há o bonito.
Qual a diferença em classificar ou qualificar alguém em bonito ou feio?
Na verdade não sei, mas que dá um frisson olhar alguém bonito, ah dá!
E olhar para alguém feio? O que dá?
Não sei. Mas as pessoas preferem os bonitos, os simpáticos e por fim os bem dotados de grana (não nesta ordem).

Amo os bonitos por que sou bonito.
Não era bem isso que eu iria dizer, mas já que saiu.

Ontem eu me olhei no espelho. Advinhem o que eu vi?
Eu vi o homem da minha vida olhando para mim com aqueles que querem dizer alguma coisa...
Eu vi um homem mais que bonito. Eu vi a sensualidade máscula contida nas menores sensações prazerosas de todo homem jovem bonito, simpático e atraente.
E as posições em que ele parava não me permitiam em nenhum momento olhar para outra coisa senão para ele naquele momento.
Não se preocupem, meus queridos, não é capítulo de romance.
Eu vi a maravilha que o mundo me trouxe. Que a natureza me trouxe. Eu vi o milagre da natureza.
E agora compartilho com vocês tudo o que senti quando olhei para aquela maravilha em forma de homem no espelho.
E isso tudo me fez perceber o quanto eu sou lindo.
mas ninguém supera a minha beleza. Nem o gato lindo da foto de cima.

Assumam, eu sou muito gato!▲▲▲▲ MIAU!

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

dentro do ônibus

aventura demais pro meu gosto
Me lembro de outro dia. Estava eu sentado no ônibus pensando. O que, aliás, é uma coisa que eu faço de mais. E então me veio um pensamento legal. Eu estava sob a influência do filme Crepúsculo e do Lua nova. Aí eu imaginei...
Primeiro alguns vampiros entrando no ônibus em que eu estava. Depois um deles vindo na minha direção para falar alguma coisa comigo. E então um imenso lobisomen (AAAAHHHHH! JACOB! LINDO! ME DÁ UM AUTÓGRAFO! ─ Brincadeira, isto veio agora.) e bate com toda a força do meu lado do busão. E os vapiros prestam atenção nele e em outros que vem atrás dele. E logo começa uma briga. Daí um dos lobisomens me leva direto para a Universidade onde, lógico, há mais vampiros me esperando, mordendo e matando quem passa na frente. E então EU, me apresento para lutar contra eles. Salto da minha audaciosa montaria (um lobisomem) e vou a luta. Um deles me derruba e o resto vem pra cima também... Até que... depois de alguns minutos de alguns vampiros se degladiando para ver quem vai chupar meu sangue ... chegam Bella e os vampiros do bem para salvar o dia....
Meio infantil, mas pensamento é pensamento.


Outro dia então, o que vi foi bem diferente. Desta vez ainda não havia a influência de Crepúsculo ou da saga. Um cara do mal, muito, muito mau entra no mesmo ônibus que eu. Aponta uma 12 para minha cabeça e diz: "Eu ouvi um amém?" E todos no ônibus dizem: " Amém". E uma doida grita "Aleluia senhor, louvado seja Deus". O mal encarado me olha de cima a baixo, e quando percebe que eu não estou molhado de mijo ele me leva pra fora do ônibus para um carro que etava segindo desde ... desde onde não sei, mas que tava seguindo ah tava... me venda. Acordo eu nas proximidades de não si aonde próximo ao corpo de não sei quem, me preparando para ser despachado para lugar nenhum. Porém, enquanto ele afia algo que deve estar muto afiado, alguém entra quase sem fazer barulho e a briga começa. Só dá para ver que é muito gostosa e que está mais vestida que as capas da Playboy ... convenhamos, ser salvo por uma mulher gostosa é muita criatividade ... daí ela derruba o mal encarado e vem me desamarrar. Logo depois vem mais mulheres como ela para limpar o local. E então elas me salvam e me levam para o paraíso.
Chegando no paraíso descubro que vou servir de almoço para alguma divindade que gosta de carne de homem ao ponto. Tento sair de finho, mas percebo um pouco tarde demais que não há saída. Tenho ou que virar lanche ou que virar o jantar. O chão se mexe. Uma entrada, ou saída, se abre permitindo que possa fugir para bem longe. Lá de dentro uma mulher bem gostosa me espera, tento voltar, mas ela pede para seguí-la, e eu sigo-a. Ela conta tudo o que eu preciso saber sobre a comunidade e me mostra algumas coisas que eu posso fazer para fugir. Não dá mais tempo. Algumas gostosas cercam a saída por onde eu iria sair. AH! não era nada. Não faz mal. Agora posso ir. Vou. Atravesso a grade falsa de não sei o que e saio para uma cacheira muito ... muito não é bem a palavra, infinitamente deve ser algo mais perto ... infinitamente longa verticalmente. Não há tempo pra pensar, eu me jogo lá do alto e quando olho para os lados eu estou voando... Na verdade era uma cerca de proteção uns dois ou três metros abaixo, para evitar posteriores suicídios. Aquele monte de maluca junta deve ter muita coisa para se enloquecer sozinha. ... Corro em direção a parede. Lá outra porta falsa em imagem de parede fixa e firme. Corro sem parar. Paro na primeira fonte... uns dois metros adiante, porque, além de não ser de ferro ou o super-man ou o flash, eu não tenho mais idade de ficar correndo feito doido... Ouço tiros do lado de fora e volto a correr e daí então... só quando voltar a imaginar de novo.


Paro por aqui...
Gostou? de onde tem este vem bem mais.

Um dia no busão. Não no do Brasil

Hoje não sei bem do que vou falar.
Mas vou falar de alguma coisa bem interessante.
Alguma coisa boa ou não. Precisamente boa para mim.

Vou começar.
Se pudesse responder a qualquer pergunta tola de meus pensamentos, teria respondido da forma que eu sempre imagino.
Se eu pudesse realizar cada uma de minhas imaginações, eu faria talvez exatamente do jeito que as vejo.
Quero que tudo seja do jeito que eu penso. Mas infelizmente, ou mais que felizmente, as coisas são bem diferentes do que eu penso. Ou então haveriam consequencias vis. Isto que estou escrevendo agora seria apenas o início de uma péssima carta que eu não gostaria de escrever...

Adoro imaginar como seriam os filmes de terror em que as pessoas pudessem prever o que vai acontecer e assim pudessem sobrevive... Ah! Já fizeram, e não deixa o filme menos de terror.
Adoro imaginar como seriam os filmes infantis se as pessoas tratassem todo mundo como se todos tivessem exatamente a mesma idade. Nossa que chatice, como esconder algo de uma pessoa se todas usam o mesmo vocabulário? e depois para falar para uma pessoa inoscente algo que ela não pode saber? (sei que isso não existe, igual o papai noel. ─isso é papo para outra postagem. Além do mais, nenhuma criança é inoscente mais, uma criança de 5 anos de idade sabe um pouco... tá! muito mais do que eu sei.)
Adoro pensar como seria o mundo se as pessoas deixassem de parecer tolos imbecis quando alguma coisa de sentimental acontece... Na verdade não gosto, mas tenho de uma hoa e meia a três de ônibus, nos quais não teno mais nada do que fazer a não ser pensar.

Então eu paro este tempo todo e fico imaginando um mundo diferente. Onde as pessoas se conhecem por apelidos simpáticos que significam alguma coisa legal. Imagino suas casas feitas em velhas árvores ainda vivas, mantendo a harmonia com a natureza.
(você já imaginou se algum dia uma pessoa inventasse um elevador biológico dentro de uma planta e nesta mesma planta houvesse um sistema forte de trepadeiras que aguentam até dez elefantes dividindo cada andar? E se houvessem plantas que fornecessem luz natural incandescente? Mais seguro, mais natural, mais econômico, mais saudável e mais harmonioso! Seria o mal da economia, mas seria bom para cada pessoa viva do planeta e para os animais, sem falar no meio ambiente.)

Aí eu paro para pensar... E penso em grandes prédios, maiores que arranha-céus e mais bonitos do que aquelas velhas e feias casa de alvenaria as quais estamsos acostumados, que ficam cheias de limo depois de certo tempo e precisam constantemente de reforma.

E então me vem a cabeça uma coisa muito importante: O ponto está próximo, é hora de ir para a frente.
ônibus lotado é a desgraça. Alguém bota esse monte de político vagabundo pra andar de ônibus.

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Quero te falar uma coisa muito legal

não quero lhe falar meu grande amor; das coisas que aprendi com os discos, quero te falar de tudo o que aconteceu comigo... por isso cuidado eu bem há perigo na esquina...
Agora quero te falar, caro leitor de uma das melhores experiências que já tive:
▬só um momentinho que eu já vou contar.


▬Dá para esperar só mais um instantinho?



▬Peraí, é rápido.




▬Tá meio difícil aqui, mais se quiser beber uma água, um refrigerante fique à vontade a casa é sua.




▬Se não se importa, pode esperar mais um instantinho? Se quiser pode fazer uma pipoquinha para assistir um filme. è só o momento de me lembrar da experiência.






▬E aí como foi o filme? conta tudo,eu acho que se você me contar eu posso lembar de algo.







▬Se importa? Se não s importa, dá pra colocar o cd que você mais gosta. Ah! é que tá meio difícil aqui....






▬LEMBREI! E não, essa foi a vez em que eu me perdi dentro do shopping Iguatemi. É só mais um pouquinho que vai.





▬Deixa pra lá, quando eu lembrar deste momento especial tão inesquecível eu te conto. Valeu por esperar.

Conversa via e-mail

Hoje foi meu segundo dia de aula. Sei que já disse isso.
As novidades de hoje são:
▬Minha turma foi mudada;
▬Conheci o departamento de letras vernáculas da UFBA;
▬Não tive a primeira aula;
▬li Harry potter e as relíquias da morte (o 1° capítulo) pelo computador da biblioteca;
▬e revi alguns colegas.

Acho divertido rever pessoas. Mas não achei nada divertido rever uma pessoa em especial. Entretanto a Universidade é para isso mesmo: rever pessoas e "aprender" coisas novas.
Tenho muita coisa para falar hoje. Quero falar tudo o que estou pensando neste exato momento, como eu acho que a UFBA é um lugar um pouco fora dos padrões publicos normais que encontro no centro da cidade, ou que há muita gente branca, muito mais do que o normal em qualquer bairro de Salvador. Ou mesmo poderia falar que os modelos largaram o emprego para vir para cá. Mas não é disso que quero falar agora. Neste exato momento quero falar da minha experiência em ter tido minha primeira (que deveria ser a segunda) aula de hoje.
A professora é bem legal, fala bastante, parece ser um tanto anormal. Uma pessoa diferente ministrando para gente diferente. Faz um bom tempo que não tenho visto pessoas tão entusiasmadas em ensinar. Desde de quando eu entrei no cursinho pré CFO eu não tenho visto isso.
Gostaria de falar bem mais do que isso, poré o tempo não é dos melhores e eu tô afim de chegar em casa mais cedo hoje. É eu estou bem longe de casa neste exato momento. Estou na biblioteca central da UFBA. UFBA. É bem grande pra quem ainda não conhece os caminhos e atalhos e institutos e as novas contruções.
Quando achar alguma coisa a mais para te dizer eu te falo e aí eu te digo o que é.

Até mais.

Em francês: Abien tôt!
Em inglês: See ya.
Em alemão (aí você já quer demais)!

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Mago Exodia - o conto do chato e do desocupado


O menino dos olhos do mundo
Há muito, muito tempo atrás, num lugar bem distante, haviam dois garotos. Um chamado de Mago e o outro sem nome.
O primeiro resolvia todos os problemas que o segundo criava. O segundo criava problemas para que o primeiro pudesse resolver. E assim os dois viviam em harmonia. Brigavam e reclamavam, mas mantinham uma relação amistosa assim.
Um dia Mago foi viajar. Porém deixou para que o outro resolvesse seus próprios problemas. Assim o outro obedeceu. E quando Mago chegou da viagem tudo estava diferente. A cidade não mais era a mesma. O bairro não mais estava mais do jeito que ele havia deixado. A casa estava muito bem organizada. Os objetos de sua coleção estavam todos limpos e catalogados. Até os mínimos detalhes estavam limpos, organizados ou arrumados.
Mago procurou por seu irmão. O encontrou numa roda de pessoas ao centro da cidade. Pessoas que se recusavam a falar com ele antes e que agora o tratavam como a seu irmão. Descobriu então que seu irmão tinha nome: Exodia.
Exodia o chamou para uma conversa ao canto. Mago o perguntou o por que de tamanha mudança. E qual foi a resposta de Exodia?
▬Quando você parou de resolver meus problemas eu já não tinha mais problemas. O meu problema é você. Você se metia em todos os meus assuntos. Quando eu tentava resolver você já tinha resolvido. Quando tentava parar, você procurava o que ainda tinha em aberto. Eu só precisava que você ficasse quieto por algum tempo para que eu visse que não sou eu que crio problemas.
▬E quem os cria?
▬Ninguém cria. Se alguém criasse meus problemas eu nunca teria feito tudo isso. Ou seja, ninguém nunca criou meus problemas, era sempre você que os procurava.
Surpreso com a resposta da mudança que havia ocorrido o irmão parou e pensou em tudo o que havia feito para ajudar o irmão e viu que pouco importava o que fizesse sempre via defeitos em seu irmão e sempre achava um problema novo para consertar, mesmo que ele não existisse.


Moral da hisória:
Se quer proteger alguém deixe que esta pessoa fortaleça a si mesma, por que se ele ou ela precisar pedirá.

Pense nisso
Mago = O grande / Exodia = Aquele que escolheu fazer o bem.

Sobre meu dia de hoje (10/08/2010)

gatinho lindo. maluco é quem acha ele um monstro.
Hoje fui na psicóloga pela primeira vez na minha vida.

Não uma experiência interessante, mas também não foi difícil. Estava apenas apenas esperando que o dia viesse e então pudesse ir lá. A dutora foi simpática. Perguntou o meu motivo de estar ali ▬ ou melhor: os meus motivos ▬, explicou o que eu poderia fazer e me explicou como funciona a terapia.

Só estou à espera da confirmação para poder fazer a terapia e, talvez viver uma vida normal.

Esperava escrever bem mais sobre esta primeira experiência.
Enfim, foi empolgante e foi divertido. Espero que esteja melhor da próxima vez que eu falar sobre a experiência de passar no psicólogo.


Aguardem notícias.

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Minhas últimas notícias

De tanto falar sobre tudo o que me veio a mente desde os primeiros posts até agora, o meu mais novo processo mental chamado pensamento me trouxe à tona meu profundo desejo de falar sobre a morte e sobre temas relacionados. Tais como como: homicídio, suicídio e eutanásia.

Como estes foram temas que eu mais gostei de abordar, vou falar sobre eles principalmente com o intuito de abrir espaço posterior para debate destes e de outros temas que se encontrem.

Meu novo objetivo é oferecer uma opção de desabafo e de conforto à pessoas que desejem mais conhecimento sobre estes temas tão pouco abordados com a clareza da parte de quem deseja a morte.

E como este é meu novo objetivo, para concluí-lo planejo postar mais cartas de suicídio de autoria própria para quem precisa de uma base para criar suas próprias cartas de adeus, além de postar tutoriais educativos sobre a construção de uma carta desesperada e meios de conseguir o objetivo do suicídio. Postarei também sobre como, quando, quais os melhores lugares onde fazer e onde não fazer e mais coisas relacionadas ao assunto.

Se assim eu puder ajudar alguém a pelo menos esquecer por determinado tempo esta idéia, peço para que me ajudem com comentários e sugestões sobre o tema.


Posts relacionados :

domingo, 1 de agosto de 2010

Campanha o dia 01 de Agosto

abrace, mas abrace mesmo.

Todo mundo gosta de expressar o que sente

Então peço para que abrace todo mundo que ver pela frente.




Faça isso todos os dias a qualquer momento.

Sinta-se à vontade para receber alguém que você ao menos gosta de braços abertos e demonstre seu lado afetivo.


Eu adoro a sensação de abraçar.


Aviso:
Todo dia 1° de cada mês vou repetir a campanha.

Selecione outra página.
=>

Viaje pelas tags do blog: