quarta-feira, 25 de agosto de 2010

diário ─ capítulo 04

Parte 01
manhã ─ 25/08/2010

Amigo diário, ontem fui dormir tarde. Dormi muito tranquilo. Agora sei que era só admiração. Mas como não admirar alguém com um corpo daquele? Dei uma passada pelo google e pesquisei sintomas de amor. Achei uma postagem interessante sobre o assunto no blog http://www.semsacanagem.net/2008/11/sintomas-do-amor-ou-no.html

1. Sintoma: Coração dispara ao pensar nela.
2. Sintoma: Inevitável tremor de mãos, pés e/ou outras partes do corpo.
3. Sintoma: Não consegue parar de sorrir.
4. Sintoma: Mente “avoada”, esquecimento, inabilidade de se concentrar em alguma tarefa.
5. Sintoma: Frequente ou constante excitação sexual.
6. Sintoma: Enfraquecimento dos joelhos e explosões de energia quando ela se aproxima.
7. Sintoma: Não consegue parar de pensar nela.
8. Sintoma: Manchas arroxeadas e sensação de dor no pescoço e outras partes sensíveis do corpo.
9. Sintoma: Insônia.
10.Sintoma: Sensação de que pode sentir o cheiro dela ou ouvir sua voz mesmo quando ela não está presente.

Agora me sinto um idiota. Pensei besteira. Sabia que eu criei um blog só pra dizer as besteiras que se passam na minha cabeça? É eu fiz. Não digo extamente tudo o que se passa pela minha cabeça. Mas digo tudo o que eu penso, com censura para não chocar, e com comentários, reflexões entre outras coisas.
Gostei da experiência de escrever um blog. Mas é difícil ganhar dinheiro com um blog. Talvez eu consiga alguma coisa algum dia, tipo ganhar muito dinheiro por revolucionar os métodss de escrita online. Enquanto isso me divirto escrevendo coisas que se passam pela minha mente e que eu tento disfarçar pras outras pessoas que vem falar comigo.
Só pra você ter uma noção, ontem de tarde eu fiz uma atividade em sala (não, eu não sou professor, sou estudante). Nesta atividade eu dei um toque meu. Veja o resultado:


Vendo um produto brasileiro grande, duro e avermelhado. Amplamente divulgado e vendido na Europa. Preço a combinar.

Gostou? Mas não é nada disso que você está pensando, se trata apenas de uma madeira nobre que está quase extinta chamada de Pau brasil. Acho que agora meus colegas tem uma noção do modo como eu penso. Sempre me imaginei num lugar diferente, onde eu não fosse um líder, mas fosse algo entre a base e o topo que as pessoas procuram para aconselhamento. E junto com isso uma comunidade de mulheres muito bem armadas e eu um grande mago que pode mudar de sexo por mágica. Sabe? Assim como se fosse um bruxo qualquer que tivesse um problema e tivesse que virar mulher permanentemente para sumir por uns tempos. E como quase tudo o que penso por muito tempo eu transformo em livro mental, neste o bruxo se chama Mag, não tem sexo definido e pode smplesmente possuir uma pessoa por dentro como um fantasma, por fora por meios hipnóticos, e etc.
Obstante a isso (que bonita palavra, não?), o que eu começo a escrever não consigo continuar. Isso é normal? Não consigo passar do terceiro capítulo sem ter mudado tudo o que escrevi. Desisti de escrever livros. Não quero mais tentar e me sentir fracassar. O blog é a solução.

AH! não posso esquecer o site da colega que fala dos próprios sentimentos chama-se Eu Pensante, e o endereço é lgcarvalho.wordpress.com

Vou parar a nossa conversa por aqui. Até mais tarde.


parte 02
Tarde do mesmo dia.

Hoje quando eu estava...
Desculpe. Olá amigo diário,
Como eu disse, eu retornei para falar, ou melhor, escrever em você. Agora de tarde quando eu estava no mini-ônibus eu tava pensando num dos meus personagens que eu criei. Tava pensando num em especial. Era um soldado, mulher, jovem, bonita (no mundo dos pensamentos não existe gente feia, ou existe?), usando um tipo de uniforme... O uniforme era... é algo um tanto diverso do que nós conhecemos por uniforme. É uma blusa simples branca, padrão de soldado, corpete para segurar as armas brancas e de curto alcance também padrão, calça justa para auxílio dos movimentos em batalha, e por fim bota de salto acompanhando a cor da calça que é a mesma da blusa. Eu estava sentado próximo da janela do mini-ônbus e senti o vento passar e esvoaçar meu cabelo ─ meus longo cabelos negros (Observação: meu cabelo não se mexe depois que seca, além de ser curto e meio claro.). E advinhe só: no ônibus que eu peguei depois havia uma garota que se parecia justamente com a figura, mas com uma blusa branca de listras pretas, minishortinho e óculos e é estudante. Interessante não? Agora eu acredito em concidências.

De resto está tudo nos padrões. Vou para algumas horas para pensar no que eu tenho que fazer, como ler um livro de cálculo com geometria analítica que está na minha mochila e ver o que vou fazer mais tarde. Vou aproveitar os momentos em que eu não vou poder ─poder não, conseguir─ estudar e vou tentar ir mais longe. Talvez criar o meu exército particular. Até que isto ocorra...

Deveria ter escrito um diário antes. Desculpe, deveria ter escrito você antes. Talvez assim eu não teria tantos problemas. E talvez eu não precisasse guardar tanta coisa na minha cabeça. Vou tentar melhorar. Quer dizer, estou melhorando. E você está me ajudando muito. Agora sei o que eu precisava saber e não sabia. Talvez agora eu fique mais alerta.

Não sei se vou escrever em você mais tarde, então não me espere.
Até a próxima.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Selecione outra página.
=>

Viaje pelas tags do blog: