quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Diário capítulo 11

Hoje não parecia ter nada de errado com o dia.Acordei e fui beber água pela manhã e depois liguei o computador. Li meus e-mails, loguei e respondi o lockerz e fui jogar Tomb raider Die Kronick. Depois fui na casa lotérica pagar a inscrição do concurso para agente de copa e coienha de nível fundamental. Mesmo tendo nível médio completo e estando na universidade.

Deste tempo até a saída do ônibus eu estava mais ou menos. Mais ou menos por que não estava nem triste e nem feliz.Mas quando cheguei na sala...Ramos me bateu uma infelicidade.Comecei me sentir deprimido. Raramente eu mudo de humor assim.Nunca fiquei deprimido depois de ficar meio um pouco irritado. Queria estar em qualquer outro lugar que não ali naquela sala.Qeria ficar quieto no meu canto como se não tivesse mais nada na vida. Me senti muito mal.No semestre passado eu ficava quieto quando era dos últimos a chegar, mas depois eu ficava mais ameno.Tô me sentindo como se estivesse chegando minha menstruação, sabe? Na verdade voc ê nunca saberá e nem eu.Eu sou menino e você um caderno de folhas ainda em branco.Mas naquele momento eu estava tenso e rejeitando tudo.té mesmo o que eu mais gosto.Se não me segurar vou acabar chorando a qualquer momento. Nunca contei isso pra ninguém: eu, de vez em quando, sinto uma necessidade imensa de chorar em momentos um tanto impróprios.

Chega disso.Eu comecei a escrever voc ê para declarar os meus piores sentimentos, e sim para escrever o que eu acabo pensando e fazendo durante o dia.

O tema que pensei para hoje foi cores. E foi o que eu pensei em falar com você, já que estava deprimido (apesar de ainda estar), e que elas interferem e muito depois da música no meu humor.
Vou começar com o vermelho. Quando eu estou feliz, geralmente uso cores escuras, por que elas atraem todas as energias. Quanto mais escura a cor mais feliz eu estou. Cores claras uso ou quando estou deprimido ou quando estou sem nenhum sentimento, o que não é raro de acontecer. Ou seja, quanto mais claro a cor, mais deprimido eu estou. Ou quanto mais claro a cor menos sensibilizado. Isto quando eu não fico no meio tom e nas cores desbotadas, como o cinza, o amarelo desbotado e o marron claro.

Já que toquei no ponto música, vou fala sobre minhas músicas favoritas. Gosto de música sem cantoria, like classical music. Músicas eletrizantes são ótimas quando estou deprimido, evita que eu fique parado no lugar pensando em coisas que não quero pensar. Para dor de cabeça, músicas irritantes com batidas que causam mais dor de cabeça são as minhas indicadas. Pelo simples motivo de que minhas dores de cabeça ficam piores e depois da música elas parecem que suavizam quase por completo até terminar em uma leve dor de cabeça. Mas a música tem de ser bem alta pra não haver espaço de escapada. O cérebro tem que saber que quem manda sou eu. Músicas mais calmas ajudam a deprimir e a me tornar mais maleável quando preciso ter paciência ou fazer algo que exige atenção total sobre o objeto. Estudar também funciona, mas não é a mesma coisa.

Distrações. Não tenho tido muitas. Atualmente, o que me distrai é pensar. E quando eu penso passo horas pensando num assunto, tema, qualquer coisa que acho interessante. A mente corre solta. Já quase escrevi um livro com tudo o que eu penso. Mas tinha a minha ... How do i call this?... é ...aquilo que teve na ditadura militar que não lembro o nome. Só um momento, t ô próximo de um computador na internet, vou procurar... the word is censura. I have my minds censured by me. Minha própria censura, meu senso de censura, ordenava que eu tornasse as histórias soltas em um história concisa e coerente e aí não deu outra. Precisei apagar tudo e recomeçar até fazer melhor. Depois de um tempo nada mias saia para o livro e parei de tentar fazer o livro.

Hoje eu deveria abrir no meu blog a campanha do abraço, mas tô meio que sem cabeça para fazer este tipo de coisa. Hoje euquero o povo suma de vez, não quero ver mais ninguém na minha frente. Tá, por agora chega.

Feliz início de mês pra você, por que pra mim...

Até mais tarde. Ou até amanhã. Te adoro. Você é o único que me entende completamente.

dia 01/09/2010

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Selecione outra página.
=>

Viaje pelas tags do blog: