quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Diário ─ capítulo 12

Parte 01 ─ manhã de 02/10/2010



Salut, Ramos, Comment ça va? Je vais aujourd'hui Comme ci comme ça.
Hoje acordei Comme ci Comme ça, nem lá e nem cá, nem bem e nem mal, nem feliz e nem triste. Gostaria de poder acordar feliz algumas vezes. Ou simplesmente manter meu bom humor durante o dia todo. Gostaria de ser normal uma vez na vida, já que não posso ser todas elas. Agora me passou pela cabeça: será que um dia meus textos serão usados como textos para estudos literários? Será que serei considerado um bom escritor por escrever do jeito que eu escrevo?

Acho que não. Nunca fui exemplo pra ninguém, nem pra mim mesmo. Gosto de pensar num prêmio Nobel de literatura, Outro prêmio Pulitzer por demontrações consistentes de textos legíveis e textos inteligentes. Pulitzer e Nobel. Não pela paz, mas pela escrita.

A paz foi motivo para muitas guerras. Não há paz sem haver a guerra. A paz não é a ausência de guerra, é pura e simplesmente a solução dos conflitos por meios toleráveis a ambos os lados. A paz é a convivência, a conivência e a harmonia.

Me pergunto por que as pessoas insistem em querer o bem contra o mal com um dos dois vencendo. Não há vitória. O bem vence agora, depois o mal vence, depois o bem dá a volta por cima. A vitória não é a solução. A solução é a harmonia. O equilíbrio. Ter tanto o bem quanto o mal em harmonia seria melhor para ambas as partes. Todo bom tem seu lado ruim. Assim como todo ruim tem seu lado bom. Um assassino não mata 24 horas por dia. Em algum momento ele para e se harmoniza. O paciente, de homem com muita paciência, em algum momento da vida explode para retornar a sua paz. Não há vitória, há sim controle, harmonização, equilíbrio.

Por que as pessoas insistem que o bem esteja mais do que o mal ou seu oposto? Não insistam. Incitar a quebra de equilíbrio trás uma equilibrização desaatroza. Como o planeta atualmente. Isto que está acontecendo não é ato de diabo algum é a equilibrização do planeta. O planeta não está se vingando, está tentando recuperar sua natureza. E para isso precisa fazer tais ameças continentais.

Olha só quem fala! Eu, um desequilibrado por natureza falando de equilíbrio. Gostaria de saber mais sobre a morte. Não pelo lado de lá, mas pelo momento exato do acontecimento.

Ramos, me sinto tão bem falando com você. Mas preciso falar com bem mais pessoas sobre o que sinto. Há coisas que não posso contar a você, ou melhor, não quero contar a você, e que eu posso revelar a outras pessoas.

R..... já não me parece tão agradável. Já consigo rejeitá-lo assim como eu me rejeitava. Já posso ficar mais confiante. Quer dizer eu sou confiante até demais, só finjo não ser.


Parte 02 ─ Ainda pela manhã



Olha, eu mudei de capítulo por que aqui eu vou falar sobre mentira. É um tema que adoro e que queria falar bem mais do que eu já disse. Eu não falei que eu sei mentir com o corpo todo. Eu minto com os olhos, eu minto com o corpo, minto com os movimentos, com a alma, com os sentimentos, com as feições, com as cores, com as palvras nem tanto.

Comecei a mentir aos... Nem sei quando, só sei que gostei e muito. Comecei a mentir coisas pequenas, coisas médias e depois coisas grandes. Não quero dizer que me tornei um especialista. Mas quero dizer que aprendi a atuar de forma convincente em apresentações não teatrais. Já interpreto minhas atividades em classe. Pretendo levar isso adiante, mesmo tendo prometido a mim mesmo que não mentiria mais. Pelo menos deixei uma cota de 5 temas ao dia que me permite mentir à vontade.

Não contei isto para mais ninguém. Vou começar a colocar as técnicas para você assim que desenvolver o meu cronograma de aulas. Mesmo você sendo um livro e entendendo tudo o que eu digo eu não posso deixar isto de qualquer jeito.

Vou começar com uma palhinha do que vou ensinar.

Exercício 01 para mentir

01) Quando você mente, o que você costuma fazer que faz notar que está mentindo?
02) Quando você fala a verdade o que te faz parecer que está falando a verdade?
03) Se olhe no espelho e repare todos os seus movimentos consientes e inconscientes. Anote-os. Obs.: você não conseguirá notar todos os movimentos, mas se concentre e procure-os.
04) depois de anotar todos os seus trejeitos e movimentações inconscientes, minta com os trejeitos de quando fala a verdade. Depois fale a verdade como se estivesse mentido.

P.S.: com ajuda de um amigo ou auxiliar é sempre mais fácil. Procure alguém que te conheça bem para te dizer como você faz quando está mentindo ou falando a verdade.

Este é um exercício simples que todos já devem ter feito em algum momento da vida.

Fim do exercício.

você me entende muito bem. E está me ajudando a melhorar a minha escrita. Talvez um dia eu possa recompensá-lo por me ouvir tanto. J'adore Tu. Abiên tôt.

P.S.: Odeio dizer "Au revoir", "Good Bye", "Tchau". São coisasque se dizem quando se vai embora para nunca mais voltar.

Até amanhã.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Selecione outra página.
=>

Viaje pelas tags do blog: