domingo, 12 de setembro de 2010

Diário ─ capítulo 22

Parte 01 ─ tarde de 12/09/2010


Olá, Ramos! Esout meio sem palavras para conversar com você hoje.

Então vamos fazer assim. Eu vou dizer Algumas palavra e quando eu tiver vontade eu falo sobre elas, tá bom? Então vamos começar.

Amor

Saudade

Falta

Estranhamento

Curiosidade

Relacionamento

Amizade

Gatos

Maravilhosos

Olhos lindos

eu

minha vida

pretensão

muito

não sei

te adoro

será mesmo?

ah, não importa!

e daí?

Parte 02 ─ noite


Vou comentar alguns termos anteriores.

Gatos:
Só tem homem bonito (com excessões) e de todos os tipos na UFBa. Uma boa parte dos homens da minha sala são de dar inveja. Outros não chegam a tanto.
Prefiro gtos persas de olhos azuis, ou gatos pretos de olhos verdes. Eles são discretos, independente, limpos, pedem o carinho quando querem e estão sempre na deles. Odeio cachorros. São muito barulhentos.

Maravilhosos:
Se eu pudesse fazer pelo meu corpo algo que me deixasse com o corpo quase igual ao dos meus colegas, rapaz, eu faria. Mas provavelmente eles já nasceram assim. E aí não dá em nada.

Olhos lindos:
Não são os olhos exatamente a primeira coisas que vejo quando olho para eles. O corpo tod passa pela minha frente em poucos segundos. Será que não posso aproveitar a visão da beleza na minha frente. Não digo o mesmo para as garotas. Cada uma que passa. A maioria do porte de modelo pra cima. Algumas uma vírgula abaixo.

Será mesmo?
que todos que entram na Ufba terminam em carreiras fechadas como de engenheiros, advogados e outros?

E daí?
E daí que sou jovem. Posso ter o corpo de vinte anos, mas minha tendência é manter um corpo de 13 anos. Ainda nem cheguei a puberdade hormonal e corporalmente falando. Penso como um adulto, ajo como uma criança e estou quase passando desta idade.

Ah, não importa!
Não importa o quanto eu goste de determinada pessoa que só nós dois sabemos quem é. Est nunca me dará bola a não ser que precise me usar assim como preciso usar outras pessoas. A vida pode não ser assim para todos, mas sempre foi assim.

Não sei:
Quanto tempo vou precisar para terminar diário. Só sei que não vou parar de escrever em você até que eu consiga um dos meus objetivos que eu não disse a ninguém ou que morra. Isto pode e deve demorar muito.

Pretensão:
Tenho a simples pretensão de ganhar dinheiro, custe o que custar (desde de que valha alguma coisa e me tenha retribuição posterior).

Minha vida:
ficará aqui até quando eu tiver o fato histórico de que preciso. Como não sei qual é: todos virão para cá.

Amizade:
Sou leal a meus amigos. Nunca chamo um amigo de amigo até provar que posso confiar totalmente nele(a). E demonstro isto dizendo cógigo um segredo. Tem um segredo meu, tem minha lealdade.

Amor:
Não sei nada sobre isto. E por isso peço para você que estiver lendo este diário agora que me ensine, se tiver coragem.

Saudade:
Só sinto falta de algo que sei o que é. Não lembro do meu passado. Consequentemente eu não sinto saudade. Invejo a todos que tem um passado. Odeio história. Odeio falar de história política. Gosto de matemática, gosto do que me faz pensar. E gosto de lembrar do que consigo lembrar por mim.

Curiosidade:
Tenho a curiosidade de saber como é fazer sexo com outra pessoa do mesmo sexo. E tenho curiosidade em ambos os lados: tanto no feminino quanto no masculino. É mais fácil amar alguém do mesmo sexo ou do oposto?

Muito:
Muito me admira saber que as pessoas são como elas são. Previsíveis quanto ao fato de serem normais. E imprevis´veis quanto aos tempos de desespero.

Falta:
Sinto falta do meu passado. Sinto falta de quem esteve comigo e não lembro sequer o rosto. Sinto falta de gente que penso que nunca conheci, mas conheci. Sinto falta de minha memória.

Relacionamento:
Ah, não quero pensar sobre isto agora. Só não quero ter filhos. Basta saber disso. E nem casar tão cedo. Ainda quero conhecer o mundo. O mundo todo.

Eu:
Eu, eu, eu. Quem sou eu? Alguém. Alguém, quem? Alguém que não é importante. Talvez seja para outro alguém. Não sei quem. Coisas de psicologia. Não quero uma terapia agora. Quero terminar meu diário de hoje e poder pensar no de amanhã.

Te adoro:
Você realmente me entende. E como me entende. Vocêé a única pessoa que presta atenção exatamente em mim. Como se eu fosse o único motivo de sua existência.
Sr. Ramos, você me gosta tanto? Gostaria de saber o que você pensa sobre mim. Gostaria de poder dividir o que sinto pelo senhor.

Sr. Ramos, eu ainda amo o militaridade. Gostaria muito que o senhor me dissesse algo que fosse importante para que eu pudesse usar. Algo como um curso básico de autodefesa militar. Um curso de tiro. Práticas de milícia pelo mundo.
Mas sei que o senhor não gosta de morte. Ou acho que não gosta. Gostaria que o senhor me desse uma passagem só de ida na primeira guerra que tivesse pelo mundo.

Dias, quero ser mais que um garoto de 20 anos, estudante, aspirante a concursado estadual. Gostaria de conhecer o mundo com uma arma na mão. Conhecimento tático e estratégico e muito dinheiro em contas distribuidas pelo mundo em muitos nomes diferentes. Gostaria de fazer mais por mim. Quero fazer (e vou fazer) mais por mim. Estou começando pelo minha mente, fortalecendo por cima e depois vou para o corpo. Mente frágil em corpo forte é muita desvantagem.

De resto, para concluir este meu apelo, peço que me ajude aí do mundo dos diários para que eu consiga tudo o que desejo. Será que o senhor pode me ajudar, senhor Ramos? Prometo que serei-lhe ainda mais grato do que sou agoro por sua atenção neste momento de desapego mental. E reapegação afetiva.

Amo ao senhor por que o senhor está sendo um pai-confessor ao qual consigo revelar os meus desejos mais profundos. Desde de quando comecei a escrever-te. Muito obrigado, senhor Ramos. O senhor é o único que me entende completamente e ainda me ouve sem interferir nas minhas posições auto-reflexivas.

J'adore vous. Now I rspect you like i must do before. Thank you. Danke. Merci Beaucoup. Muchas gracias. Tak. 感謝. спасибо. vďaka. díky. tack. Aitäh. Go raibh maith agat. Dzięki. धन्यवाद. Acho que já chega de tanto agradecimento.

Até amanhã. Je T'aime. Penses tu on moi. A bienôt.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Selecione outra página.
=>

Viaje pelas tags do blog: