quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Diário ─ capítulo 25

Parte 01 ─ de tarde do dia 15/09/2010


Olá sr Ramos. Hoje eu não estou tão favorável ao estudos quanto estava antes. Sabe o que é derivada? Nem eu. Mas ainda assim tenho que aprender até quarta feira.
Ah! gostaria tanto de estar passeando pelo mundo sem memória. Saido por aí sem saber sequer qual minha língua mátra. Não obstante a isto, gostaria de hoje as coisas acontecessem do jeito que gostaria que acontecessem. Será que não seria melhor tentar aprender de outro jeito.

Nem sei como fazer.

O tema de hoje é reformas. Reformas por causa da minha localidade. Estão refazendo as pistas e incluindo um sistema pluvial para as águas da chuva. Minha casa foi reformada recentemente (ano passado) e eu estou sob reforma. Não quero mais ser quem eu sou. Desde o início do ano.

A partir de agora respondo por Alberto. E em homenagem a você ao senhor me chamo agora Alberto Dias Ramos. Assim podemos nos passar por pai e filho. Marinaldo? Nunca mais. Não aqui. Quero fazer algo melhor pela minha vida.

Então agora sou Alberto Dias Ramos, tenho um cancer no cérebro que me dá mais alguns anos de vida, sou de Escorpião, não me preocupo com as outras pessoas. E principalmente não quero mais que as pesoas saibam que eu existi. Só traria sofrimento no momento da minha partida. Não gosto deste mundo e ele parece não gostar de mim.

Não quer dizer que estou desistindo. Isto quer dizer que estou pegando minha trouxa e seguindo meu destino. Não precisam se compadecer de mim. Não sou mais criança. Também não sou idoso. E sei me cuidar o suficiente para manter os inimigos à distância e os amigos perto o suficiente.

Falado em inimigos, sr Ramos, nunca os tive. Acabei de ensar no assunto. Sempre tive relações ou de semi-amizade ou de não contato. Sinto falta de determinadas coisas. Como meu passado. Mas nunca senti falta de inimigos. Só queria ter um melhor amigo. Daqueles que crescem conosco ou que fazem coisas que nós guardamos para contar aos netos. Não penso em deixar herdeiros. Não tenho sequer herança para dividir. Nasci na pior das classes: a emergente.

Gopstaria de ter tido em vida... Ainda estou vivo e talvez por sei lá mais quanto tempo. Gostaria de ter um Play Station 2 em casa. Gostaria de ter um netbook meu. Gostaria de desenvolver alguns projetos antigos que nem eu sei.

Oficialmente estou aqui para decidir como vou viver o resto da minha vida. Mas sei que logo terei que escolher entre a vida e a morte de pessoas. Incluindo eu. Nada do qual eu não precise me orgulhar ou ficar entusiasmado.

Está parecendo minha carta de suicídio, não é sr Ramos? Não, esta não é minha carta de despedida. Tenho planos que só posso realizar em vida. Não será ua coisa que consome vidas que irá me deter. Eu ainda nem dominei o mundo. Não ditei as regras do novo continente. Nem dei meu nome para ruas palácios e avenidas. Tenho muita coisa para fazer.

Fim da parte de Alberto

Ele é apenas mais um de mim. ALém dos quatro iniciais. Isto deveria continuar sendo um segredo. Mas confio em você o suficiente para permitir que o sr guarde estes segredos também.

Oficialmente eu era Mag em casa e nas proximidades. Me tornei Mago Exodia na internet. Tenho até um blog com este nome oficial. Em sala de aula sou Marinaldo, assim como lugares que exigem nome de registro. Dentro de lugares onde não tenho necessidade de saber quem é quem, como em novos relacionamentos amigáveis, eu sou Sem Nome. Administrador oficial do corpo e deignador/coordenador de perfis. E agoro posso me tornar Alberto Dias Ramos. ADR. Como Adriano. Alberto significa: brilhante, Ilustre. Como Um bom mago deve ser. Mago = o grande, Mag = feiticeiro, Exodia = Aquele que escolheu fazer o bem e Alberto = Ilustre.

Agora me sinto completo. Dois sem sexo e dois Homens. E o outro sem existência. Marinaldo não existe. Não mais.
Poderia me chamar Alberto de Jesus Dias dos Reis. Ou Alberto de Jesus Dias de Deus. Talvez Alberto Ramos de Jesus Dias dos Santos. Bonito, mas não. O nome que eu tenho é meu. Ou melhor, os nomes.

Estou em reforma. Estou refazendo todos os meus perfis de usuário. Cada pessoa que existe em mim é muito importante e muito leal a mim. Mas não posso ser mais o mesmo. Agora tenho nomes a zelar. Devo reescrever toda minha história e reaver elementos impotantes da minha. E parar de mentir definitivamente. Que eu tinha prometido há algum tempo.

Chega de reflexão. Alberto já não mais nada a perder. Chega de orgulho. Mag não se responsabiliza pelo que el faz. Chega de ficar quieto. Exodia não se importa com os fracos. Eles devem ser usados aténão ter mais nada a dar. E quando terminar a reforma serei um pouco melhor do que fui e talvez um pouco menos eu. Mas nunca permitirei que me sejam outra pessoa.

Fim das idéias mirabolantes de Sem Nome

Nada a dizer.

Fim das idéias libertadoras de Mago Exodia

E por que você disse nada a dizer?

Fim das filosofias de Mag

Não aguento mais vocês. Alguém me interna, faz o favor.

Aqui Marinaldo deixa de se corresponder.

Até a próxima reflexão. Sr. Ramos. Não se preocupa não. Minhas idéias afloram e vão embora do mesmo jeito.
J'adore Vous. J'aime Vous. Make me to give all i have. If i have no more, wish me more.

A bientôt.

Parte 02 ─ Noite


Boa noite, sr Ramos.
Agora o tema seria Rejeições. Mas resolvi não falar abertamente sobre isto.
Ainda vou falar alguma coisa. Mas não agora. Ah, aconteceu de novo. Não falei de um, mas o outro aconteceu hoje no ônibus. À distância não sinto tanto enjôo.

Até Amanhã.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Selecione outra página.
=>

Viaje pelas tags do blog: