sábado, 18 de setembro de 2010

Diário ─ capítulo 28

Boa tarde, Ramos. Hoje eu escrevi pela tarde. Não tinha muita coisa do que falar. Mas tinha muita coisa no que pensar. Tipo você.

Estava pensando em muitas coisas. Até em como mudar meu jeito de pensar. Para todos os tipos de coisa. Vi muitas possibilidades. Gostaria de aprender a fazer programação. E poderia fazer muitas coisas como aprender alguma kinesis.

Nada do que deva sair por aí falando. Ninguém ouviria.

Não tenho tema certo para hoje. Então vou escrever palavras aleatórias e depois falar sobre cada uma delas.

Fidelidade

Traição

Fantasia(s)

Calor

Frio

Sabor

Psicose

Fator paterno

Fator paterno

Filme erótico

Sensualidade

Masculinidade

Prazer

Já tá bom de palavras.

1ª palavra:
Fidelidade. Não gosto desta palavra. Me lembra morte. Perda da vida. Zumbificação gâmica. Não dá para ser feliz sendo fiel a uma pessoa. Principalmente se a pessoa a qual se tem fidelidade exige isto. Acredito eu... Lógico Isto aqui é o meu diário. Escrevo aqui tudo o que penso e consequentemente o que acredito. Ainda assim, penso que as pessoas deveriam exigir a falta de fidelidade. Quanto mais se pede fidelidade mais a pessoa que pediu se sente induzida a trair. Traição é bom para reaquecer um relacionamento frio. Fidelidade serve apenas para acabar com uma relação que está no fim.

Traição. Prefiro esta palvra. Ela tem muitos significados. Pra mim ela tem um significado maior. Por que vem seguida de perdão. Ou você não perdoaria alguém te dissesse o que fez e pedisse perdão depois? As coisas depois disto certamente melhoariam.

Fantasia. Ah, sr Ramos. Tenho muitas. Uma delas que eu não deveria contar. Mas vou contar. É: Um dia uma garota, não qualquer garota, chega por trás e me pega pelo cabelo (?), apoia minha cabeça no ombro e uma faca no meu pescoço pelo outro lado. Eaí ela Aplica toda a sensualidade dela me derrubando no chão... E o resto você já sabe. Não sabe? Senhor Ramos, eu não conto o óbvio. No final ela me mata como uma viúva negra.
Tem outra, só que não é uma coisa boa. Um cara me pega por trás (? fica quieto!), e me arrasta até a parede. Um cara não muito forte e nem muito bonito... Um cara assim normal com cara de modelo e corpo de playboy. Lá me prensa e depois me vira. E aí uma mulher, daquelas que faz de tudo o que não se deve, e acaricia o cara na minha frente. Em partes um tanto íntimas. O resto eu conto assim que calor baixar.

Calor. Não gosto muito de calor. Adoro calor humano. Sabe a diferença de um abraço feminino para um abraço masculino, sr Ramos? A diferença é que homens tem o corpo mais quente, firme, e forte. São um pouco distantes quando abraçam outros homens que não sejam seus amigos íntimos. Mulheres tem o corpo mais macio e mais flexível. São mais carinhosas quando abraçam. E não se afastam como os homens. Elas se entregam mais ao abraço. E eles fingem que não gostam de ser abraçados. Sei por qual motivo.

Frio. Não gosto muito de frio. Mas é ótimo quando posso dormir até mais tarde e está frio. Os homens são frios. Na maior parte do tempo. E com homens diferentes de seus amigos íntimos. Intimidade deveria ser a próxima palavra.

Intimidade. ?. ??????.

Sabor. Adoro os sabores. Gostaria mesmo era de provar um beijo masculino e outro feminino. Conhecer a diferença de sabores e personalidades pessoalmente. Um homem é mais íntimo no beijo do que uma mulher? Um dia eu descubro como é e quais são as diferenças.

Psicose. Não sei nem por que escolhi esta como uma das palavas. Mas já que escolhi eu vou falar algo sobre isto. Algo sobre isto. Pronto falei.

Fator paterno. Freud conseguiu explicar a minha obsessão por homens jovens e bonitos de mesma idade ou idade semelhante. Mas não conseguiu explicar a minha rejeição por crianças com pouco meos de 6 meses para baixo. Eu sei que procuro um pai em cada homem que passa pela minha frente, e sei que cada homem bonito tem algum problema íntimo que ninguém sabe a extensão. E ... E mais nada.

Fator materno. Amo minha mãe. Tenho muito mais contato e conversa com ela calado do que com meu pai. É quase como se eu tivesse contato com o Papa monstro (Bento XVI) do que com a madre Thereza de Calcutá.

Filme erótico. Adoro. Odeio. Tudo ao mesmo tempo. O que tem de mais em ver mulheres e homens nus fazendo sexo? Não é a mesma coisa ver animais copulando no meio da rua? E é um ótimo dissipador de tempo. Principalmente se falando em determidaos aspectos sexuais humanos.

Sensualidade. Eu tenho. Todos tem. Alguns não sabem, alguns se usam dela. Mas todos tem. Homens e mulheres. Gatos e Gatos. A sensualidade é algo indiferente ao aspecto físico humano.

Masculinidade é uma coisa que não existe. Já vi muita mulher ser melhor do que qualquer homem no aspecto ser macho. E muito homem ser melhor do que qualquer mulher no aspecto beleza feminina. Então masculinidade é coisa que não existe.

Prazer. Ah, muito o prazer em conhecer. A todos vocês.
And The winner is... Me?! Aw! Thak yuo. Thank you all. My dad, my mom, my brothers and sisters, my pets. My friends all. To you my teacher, you inspired me to arrive in there. Mom, i love you. Aw! I don't know say more. Thank you all.

Tenhomuito prazer em falar e escrever. É como me livrar dos contrapesos do elevador e voar rumo ao paraíso.

A bientot, monsieur Ramos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Selecione outra página.
=>

Viaje pelas tags do blog: