sábado, 25 de setembro de 2010

diário2 ─ capítulo 04

Parte 01 ─ pela tarde do dia 25/09/2010


Bom dia, senhor Ramos.
No tengo tema para hoye. Entonses, yo me voi a hablar sobre todo. Ou sobre nadien.
Je parle aujoud'hui sur le rien et sur tout. Tous qui je vai et tous que je ne vai pas. I'll speak all wich i think now.

Vou começar com Rafael. Tava pensando um pouco mais cedo nele. Do jeito que não deveria, mas ainda assim pensando. Pensei coisas que sinceramente não gostaria de pensar sobre homens comprometidos. Não pensar é muito difícil. Principalmente por que foi o único motivo que me fez ficar aqui nesta vida quando tinha tudo pronto paa partir sem ressentimentos e sem culpa. Não consegui me matar uma vez por que pensei demais e fiz uma promessa que só tenho mais alguns anos para fazer. E fiz promessa sobre promessa para conseguir me manter aqui oned estou. O que Rafael tem a ver com isso? Esperança. Não tinha esperanças antes do primeiro platônismo. Que se chamava Bruno. E o segundo que se chamava Túlio. E o terceiro que é o Rafael. Qual deles? Não é da minha conta e nem da sua. Conheço tantos Rafaeis quantos preciso para disfarçar e quem eu falo. E se ele sabe que é ele. Se estiver lendo isto e quiser algua coisa comigo: Fale comigo. Por que eu até prevejo o futuro, mas não advinho os pensamentos das pessoas. Te amo e isso pode mudar a qualquer momento. Então se me quer tem que ser neste momento. Ou até o último momento em que estaremos próximos. Depois é adeus pra nunca mais.

Virgindade. Pra mim não foi problema manter. O prblema será perder. Eu faço determinadas coisas para me apegar a elas e depois sumir com estas mesmas para que meu sistema sentimental seja de fácil manutenção e fácil acesso. Não sinto que não quero sentir. E quando sinto depois a minha memória apaga. Senti vontade de chorar e chorei ontem de note. Depois precisei dormir e continuei pensando em Rafael.

Sr Ramos, eu simplesmente resisti ao fato de que poderia tê-lo visto da forma que desejo ontem. Poderia ter visto. Mas o sem nome não me permitiu. Também me ergunto o por quê. Se eu poderia ter realizado este reles desejo por que ele não deixou que eu fizesse. Poderia ter feito e ele nem perceberia. Sem nome me disse que ele tanto sentiria quanto se afastaria de mim do jeito que ele quer. Mas ele não quer que isto aconteça poragora. Preciso me desobcecar dele até o final do ano. Depois disto, provavelmente, não o verei nunca mais. E aí terei que ficar obcecado por outro, ou por outra. E sem nome não quer que isto aconteça. Ele vai me destruir assim que ficar frágil o suficiente para que Mago se imponha sobre mim e possa dominar nosso corpo. Gostaria de saber por que sem nome não gosta de mim.

Aqui é Sem nome falando.
Mag, eu prometi que você não passaria deste ano. Eu o dei por algo que foi muito valioso para mim. Posso te refazer depois. Mas para que isto aconteça preciso que você seja destruído agora e que se torne apenas uma lembrança. Não vou sumir com você assim deste jeito. Mas vou colocar outra personalidade em seu lugar até poder recuperar você e mudar coisas que não são legais em você. Não tenho o que dizer. Ainda assim quero que saiba que gosto muito de você e nós sentiremos sua falta assim que você ir. Mas se você ficar, em algum momento Mago irá tomar posse. Você está se tornando frágil e sentimental. Está ficando difícil de controlar. Se eu não puder controlar você haverá outro que possa. Mas daí em diante você já era.

Espero que entenda que eu não posso deixar que você seja massacrado desta forma. E continuo dizendo que você deve ficar longe dele. Ele é um mal exemplo e vai te causar muito problemas. Mais cedo ou mais tarde isto vai se mostrar verdadeiro. Será que isto você pode entender? Ou devo abrir o protocolo 4? Não se esqueça que se você ou o outro morrem eu vou junto. Sou eu quem mantém o equilíbrio entre vocês.
Obrigado. Mas tenho que ir.

Se ele soubesse que eu sinto tanto medo do que ele pode fazer comigo. Sinto falta de carinho. Ultimamente me sinto como se estivesse me tornando solitário. Como eu disse que nunca seria. E não posso ser. Sozinho sim. Solitário nunca. Minha morte não trará prejuízo e nem lucro para ninguém. Gostaria que o Rafael em questão pudesse me dar o que tanto preciso: amor. Sinto necessidade de algo que nem sei o que é.

Outro tema.
Sinceridade. Sinceramente? AH! Já chega. Não tenho mais nada pra te falar. Desculpe senhor Ramos, mas eu não quero mais falar o que sinto. Me sinto tão ridículo em dizer o que tenho dito ultimamente. Sabe, é melhor ser um monstro solitário do que ser alguém aceito pelo que é. Preferia ser apedrejado até a morte. Ou ser linchado e depois morto. Pelo motivo que seja. Não gosto de estar vivo. A dor de não sentir nada é pior do que a dor de sentir tudo quanto é dor. Sei que deveria pensar positivo, porém não há bom humor que resista a crises frequentes de vontade de chorar e mais e mais crises de existencialismo. Cansei de ser eu e cansei de ser chamado de MArinaldo. Marinaldo não existe tem um bom tempo. Ainda vou fazer o que pretendo. Mas eu pretendo apagar a minha memória antes de fazer. Só para ter a certeza de que não vou voltar atrás. E não vou retornar aos valores que nunca tive.

Sr. Ramos, lamento, porém nossa conversa termina por aqui. J'adore vous. Vous etez le plus meilleur ami qui j'ai. You are the only one friend wich i have and had in all my life. No tengo muy esperanças, pero tengo mucho que hacer en la mi vida. Make me happy, give a chance to change my life to a very happy life. J'aime vous, monsieur Ramos. A bientôt. I am crying in this moment.

parte 02 ─ de noite


Olá, sr Ramos. Agora queria falar de uma experiência um tanto diferente. Escutar Rádio durante o horário eleitoral obrigatório gratuito. http://transanet.telium.com.br/player.php?radio=ba&tipo=audio&canal=pop, este é o site onde posso escutar música a partir de um site. Transamerica Fm. Durante o horário obrigatório pode-se escutar música muito boa e de qualidade. Mesmo que não se netenda uma palavra é melhor do que escutar "Rala a tcheca no asfalto" ou "Eu quero cupper" o dia todo. Ou escutar uma rádio estressante e parada como a globo Fm.

Queria falar de outras coisas, mas eu esqueci. Ah! Não se preocupa não. Eu estou bem. E assim devo ficar por mais 9 anos.

J'adore vous. I may die in war or in a big decepcion. If i do get no my objectifs anyone will die, and who kill him (or she) will i. If i do get no to entry in the militar academy or in a other coutry i no responsability me for my actions. Mag is part of me and i am part of Mag, Mago and Alberto. coming soon Alberto will die. And when it happen I will turn me on a stronger monster. Any who can to change all the world. And to move the all mountains with my mind. Nothing will get stop me. And no one.

J'adore vous, monsieur Ramos, et j'adore etre le qui je suis. J'aime vous. J'aime moi et aime tous le choses in cette place. Faitez moi herreux. Je veux etre herreux.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Selecione outra página.
=>

Viaje pelas tags do blog: