sexta-feira, 1 de outubro de 2010

diário ─ capítulo 10

Olá, senhor Ramos. Não tenho muitas novidades. Não boas. Porém tenho ruins.
Senhor Ramos, vou reduzir as minhas passagens por você à uma vez ao dia. E apenas durante a semana. Vou reduzir o tempo que gasto com a internet. Senhor Ramos, a conta de internet veio nas alturas, tenho que diminuir os meus gastos. Claro que não foi eu sozinho que gastei tudo aquilo.

Provavelmente serei um pouco menos sincero das próximas vezes. Mas vou tirar ao menos 30 minutos todos os dias para escrever algo em ti. Afinal o senhor é o meu confidente. Não posso simplesmente esquecê-o assim. Ramos, hoje eu simplesmente ignorei de novo o Rafael olhos cinzetos. O por que não mais da minha conta. Sem contar que rejeitei mais duas crianças ontem e hoje. E hoje pela manhã eu tive uma crise de riso, seguida de uma crise de choro. O riso, o simples fato de rir me fez chorar.

Quem sou eu senhor Ramos, quem sou eu. who am i? Quien soy yo? Qui c'est moi?
Senhor Ramos, o senhor vai ficar chateado se eu reduzir o meu tempo de escrita e os tempo que passo com o senhor? Olha, prometo que farei e escreverei coisas bem mais interessantes. Já não tenho mais o fazer mesmo. Comecei uma nova política: Não tem o que pensar? Não pense em nada. A cabeça fica vazia. Fica tudo leve.

Daqui a pouco vou abrir no meu blog a campanha de abraçar a vontade. 1° de Outubro, senhor Ramos, não posso me esquecer de que abraçar é remédio para qualquer tipo de carência afetiva. Desde ficar triste a ficar desconsolado.

Já me vou. Estou à 3 minutos de ir para casa.

J'adore vous, monsieur Ramos. Bis bald.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Selecione outra página.
=>

Viaje pelas tags do blog: