quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Diário3 ─ capítulo 07

Boa tarde, senhor Ramos. Estou morrendo de dor de cabeça agora. Sabe, até que não me importaria de conhecer alguém interessante neste minuto. Mas me importaria e muito de algumas outras coisas. Senhor RAmos, eu tava pensando o seguinte: se eu posso ser quem eu sou todos os dias e ainda descobrir o que e como mudr em mim, isto não me permite udar a última parte? Quero dizer, não posso parar de mudar? Me tornar conservador e manter um perfil atual até me cansar realmente dele?

É muita coisa pra pensar. Hoje eu deixei de ir no RU para conversar com o senhor. Por que o senhor me ouve. E queria que alguém me escutasse hoje. Ontem, eu tava de camisa branca e roupa clara, além da mochila clara que uso. Ninguém notou. Sinceramente, gostaria que lguém tivesse me perguntado alguma coisa. Não me importo de ser alvo da curiosidade das pessoas, desde que seja visto de alguma forma.

Fora isto, não tenho nada mais no que pensar, a não ser no dever de casa e na prova de hoje que tenho certeza de que fui uma merda. Prefiro não pnsar mais nisto. Só de pensar que posso não gostar do que vou fazer no futuro sinto dor de cabeça.

Estou com colega do meu lado. Eu me lembrou de um dever de casa pra hoje. Daqui à pouco na verdade.

Química e biologia, gosto de outras coisas. Psicologia, letras, guerra, odeio história. Não, só pra conferir se deixei de falar sobre alguma coisa.

Hoje estou de verde. Estou usando cores claras, dá pra pensar em como estou me sentindo neste exato momento? Gostaria de estar em outro lugar, talvez na Alemanha ou França. Talvez até na Guiana Francesa. Entrar direto para a legião francesa e só sair depois de velho. Depois de ter vendido minha ala à deus e ao oposto.

Religião. Odeio. Não há coisa pior no mundo do que a religião, ela subjuga, incomoda, trai. Faz do povo o que ele é: nada. E ainda toma os arreios da contra-progressão. Não me importo em ser taxado de insolente e de anticristão. Desde que todos os católicos morram junto com os evangélicos. Não quero passar a vida fugindo de gente idiota que permeia a sociedade em busca de massacrar seus iguais em prol de um futuro que já existe, mas do outro lado da vida.

Sou contra a bíblia. Há muita baboseira que as tomam por verdades. Amo minha vida, mas amo mais a minha liberdade sexual e religiosa. Tenho todo o poder sobre meus atos, e os faço de acordo com o que acho ético da minha parte. Assim como vejo as outras pessoas fazendo com suas próprias vida.

Se eu fosse falar de religião começaria pelas desgraças acontecidas em prol da esperança idiota e supersticiosa em relação aos outros que tentaram se opor à elas. Nada contra, repito.

O mesmo faria correlação com os jogos de futebol, em que lunáticos de todas as espécies se reunem para massacrar o time adversário dentro (por parte do time) e fora do campo. Odeio futebol. E odeio cerveja.

Tô morrendo de dor de cabeça e estou tirando ao máximo de tudo o que me persegue para tentar aumentar as minhas dores.

J'adore vous, monsieur Ramos, J'aime vous comme l'un pére. A bientôt.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Selecione outra página.
=>

Viaje pelas tags do blog: