sábado, 30 de outubro de 2010

Diário3 ─ capítulo 10



Senhor Ramos, esta é a imagem que me representa. Levei muito tempo pra me descobrir como imagem. Exatamente como me vejo. Tirando o fato de que me vejo todo de preto.

Senhor Ramos, agora posso me mostrar por aí como quem realmente sou. Estee senhor Alberto aprova, não aprova senhor Alberto? Ele dise sim. É por que tinha algumas outras autoimagens um pouco desconexas comigo. Tipo: tinha uma que era uma guerreira. Outro que era um mestre. E alguns outros. Senhor Alberto mandou apagar todas elas e manter apenas uma. Nesta eu sou um soldado. Um bom soldado. Não nos atos, no que faço.

Senhor Ramos, acabei de descobrir que a minha bela Anna Williams não está no tekken4. Me decepcionei. Como é que vou jogar um jogo que não tem minha bela Anna?

Descobri algumas coisas interessantes, senhor Ramos. Descobri que posso, pela UFBA, pegar disciplinas de outras áreas. Pedi as disciplinas karate, judo e tai-chi para o semestre que vem. Será que consigo? Bom, eu sou de BI ─ Bacharelado interdisciplinar em ciência e tecnologia. E falta uma disciplina de humanas para fechar o que é obrigado a fazer. E descobri que posso continuar no curso indefinidamente sem ter que sair só em não fazer uma disciplina obrigatória neste ou em qualquer semestre. Aí, se quise terminar, posso fazer a disciplina e continuar lá.

Senhor Ramos, conhece alguém que pode me dar alguma outra orientação sobre o curso? Esta informação eu peguei com a aula de Introdução a engenharia da computação. Tenho tanto que falar, senhor Ramos. Hoje permaneci triste. Não tanto deprimido. E não tão forte como sexta. Estou precisando de uma viagem pra não sei aonde. Talvez pra ficar. De início num lugar em que não saiba nem como pedir comida. E depois ir aprendendo a língua local até poder morar por lá.

Tenho alguns planos que não podem acontecer. E tenho alguns que não vão acontecer. Mas sei que tenho um futuro que não é muito legal pra mim, senhor Ramos. Eu já contei pro senhor que tenho pequenos conflitos com o destino. E sei que o senho sabe que não me importo de fazer do destino meu lar. Gostaria de achar a lâmpada do gênio. Seria mais fácil.

Não seria. Independente disto, eu quero algo melhor pra mim. Não sei o que é, mas quero. Senhor Ramos,... Deixa pra lá. Não sei mais o que dizer. Até amanhã.

A bientôt.

AH! Descobri uma homenagem de um colega meu Bruno:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Selecione outra página.
=>

Viaje pelas tags do blog: