segunda-feira, 15 de novembro de 2010

diário3 ─ capítulo 26

Senhor Ramos, ontem eu conheci o aeroporto. Muito legal, dinâmico, com todo tipo de tecnologia que só vejo na tv. Ah, que depressão. Agora que vi e sei de tudo isto, quero morrer. Vi todo o tipo de tecnologia, computador touchscreen, nanhiro com ativação por aproximação. Porta por infravermelho ou sei lá o que, que não precisa nem parar na porta...

Coisas que nunca verei de novo. Talvez. Bom, ontem pensei que iria precisar falar isto com alguém que interferisse na conversa. Alguém como alguém que anda e pensa sozinho. Mas hoje descobri que também gostaria que esta pessoa ficasse surpresa com o que dissesse. Aí já acho um tanto querer demais. Senti falta de alguém colado em mim, como um melhor amigo daqueles que se vê em filme americano.

Infelizmente, estou mais só. Não tão só quanto estive pronto para o grandesalto. Mas ainda mais só que quando descobri que prefiro as pessoas mortas.

Senhor Ramos, foi muito bom dizer algumas palavrinhas pra você. Você sabe o quanto eu te amo e o quanto gostaria que o senhor fosse meu pai. Meu pai tem momentos (o de verdade) que eu gostaria de arrancar a cabeça dele com um alicate de unha. Tem outros que eu só quero fatiá-lo pedaço a pedaço daquela carne grda e fétida no qual ele se encontra.Nada contra as pessoas vivas. Só contra ele. O motivo? Preciso de motivo? Com ele é sempre do mesmo jeito. Cansei de tentar prever os movimentos. Passei a advinhar cada passo que ele vai dar a fim de evitar determinadas ações quando nos dias errados. Odeio praticar vidência nestes casos. Bom, A bientôt. Não faço mais duas coisas ao mesmo tempo. Te amo. Fui.

parte 02 ─ de noite


Senhor Ramos eu sei que deveria estar fazendo meu trabalho, pero no tengo mas paciência con todo esto. Yo no quiero mas continuarlo por hoye. Do you undestand, mr Ramos? Cansei. Quer não fazr e ainda tenho que estudar mais alguns textos para 5ª feira.

Queria viajar agora pelo mundo. Sem noção de pra onde estou indo ou aonde vou ficar. Sem noção de quem eu seja. Acabei de ler um artigo nojento sobre as 10 anomalias mais raras. Uma delas foi o hermafroditismo. Uma coisa nojenta que vi foi o caso "fetus in fetus". Não quero ver isto nunca mais. Outros eram menos repugnantes, ainda assim eram feios de doer. Quase vomitei.

Bom, agora é que realmente não quero procriar. Bom, senhor Ramos, acho que isto é tudo. A bientôt.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Selecione outra página.
=>

Viaje pelas tags do blog: