domingo, 19 de dezembro de 2010

Diário4 ─ capítulo 28

Boa noite, senhor Ramos. Não, nada de interessante hoje. Conhece alguém que pode me arranjar uma vaga de emprego por aí? Tô precisando. Aceito trabalhar das 6 às 12 (por que não posso pegar além disso), de serviços internos (escravo da casa grande) até serviços externos (escravo do campo). Sei digitar, sei escrever html básico, sei ler em inglês e em francês. Não, eu vou além destes que vão ao google translate, eu sei ler em inglês realmente. Leio em francês, mas não com a mesma confiança. Sei fazer php, sei fazer banco de dados, sei passear na internet. Sei fazer cálculos simples (somar, subtrair, dividir e multiplicar), sei cálculos um pouco menos simples (integral e derivada), sei fazer um bom texto. Sei atuar, sei dançar, sei pensar, sei mentir, sei fazer muitas coisas. Isto não, e nunca precisei. Senhor Ramos, não posso sair vendendo meu corpo por aí. Tá bom. Sei ser sensual, mesmo não tendo uma beleza do tipo Bruno Gagliasso, ao nível Zé Bonitinho.

Gostou mesmo da comparação? E alguém vai pagar alguma coisa nisso aqui? Senhor Ramos, olha bem pra mim. Eu falei pra mim. Não preciso dizer que posso mudar e vou mudar, preciso? Sei que não vale a pena, mas vai ser por mim. Veja só: As pessoas se vestem e se transformam todos os dias por outras pessoas que geralmente nem olham por um segundo para elas. Estou fortalecendo meu sistema de auto-estima para que quando eu tiver que ficar bonito para alguém eu possa manter ou melhorar meu estilo. Estilo? Ser brega também é um estilo, porém não vou ser brega só para demonstrar que tenho estilo, vou?

Se eu pudesse escolher um lugar para trabalhar? Seria um lugar lindo, tranquilo, sem distrações indiretas, e com muita paz, além de espaços amplos para diversão entre um trabalho e outro. Sem distrações indiretas se refere ao aspecto áspero das empresas tradicionais que mantém o sistema de sempre ser fechado e sem espaço para distrações. Se um rato for trancado numa caixa branca bem iluminada sem caixa de comida e bebida e sem a roda onde perder as calorias ele fica deprimido ou tenta sair urgentemente da caixa. O mesmo se pode atribuir a gente como a gente. Tranque algumas pessoas numa sala branca bem iluminada sem água e comida com outras pessoas com o intuito de que elas trabalhem em grupo. Tá bom, não tranque. E nem tire água e comida. Entretanto mantenha essas pessoas na sala para uma reunião.
  • Primeiro evento: sensação de aprisionamento.
    tendência: estresse e fuga emocional;
  • Segundo evento: adiantamento dos assuntos (todos) para sair mais rápido possível.
    Tendência: Estresse e enrijecimento, seguido de emoções explosivas;
  • Terceiro evento: Explosão nervosa, e crise claustrofóbica quanto à reuniões posteriores;
    Tendência: Fuga emocional constante, e terror de reuniões.
Acho que isto já é auto explicativo. Não me importo de trabalhar de doméstico, só se o patrão for no meu quarto para determinadas coisas. Tenho objetivos em vista. Se não conseguir nada aí vou morar nas ruas e sumir pela América Latina e depois Legião Francesa. Prefiro as armas. Adoro armas. Não este tipo de arma. Canhão!? Bazuca!?

Por agora o assunto acabou. Depois a gente conversa. A bientôt.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Selecione outra página.
=>

Viaje pelas tags do blog: