segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Gosta de brincar? Eu também.

Olhar digital

Senhor Ramos, resolvi começar hoje falando de um site legal sobre tecnologia. Adoro tecnologia pena que não tenho dinheiro suficiente para comprar nem uma bala. Quem disse qye dinheiro não é tudo é por que tem muito dinheiro sobrando. Pense só no que dá pra far com 100 reais. Agora com 200. Agora com 1000. E agora com 1 milhão. E aí? Só com 1 milhão já dá pra fazer isto que você pensou imagina agora com 10x isto.

Nem se fala. Adoraria ter uma parte desta grana todo final de mês. 500 ao mês. Só com isto por mês realizaria todos os meus sonhos. Claro que não tenho filhos, nem cartão de crédito e sequer emprego. Mas daria pra ajudar em casa, comprar o meu psp ou o mais atual, o ngp. daria pra comprar todos os jogos tekken e assassins creed. Daria pra fazer minhas festas. Entre outras coisas.

Senhor Ramos, hoje estou de branco. E sonhei com algo branco.
Tá bom, vou contar.

Sonhei que estava indo para um lugar em Lauro de Freitas. Aí não ncontrei o lugar e perguntei para um papagaio branco, que respondeu onde ficava. Só que (do verbo ...) não era para onde eu deveria ir. Antes de chegar encontrei gente do projeto de pesquisa que estou fazendo como aluno voluntário (já que não recebo bolsa), dei alguns abraços. Aí fui à praia de Lauro de Freitas e saí em busca de Rafael. É, aquele Rafael. E não o ncontrei, mas tenho a sensação de que passei em frente ao trabalho dele, e não entrei. Aí fui parar na Ilha de Itaparica. Voltei pra casa de avião (4 real a passage). E então retornei para a Ilha, fui visitar duas colegas/amigas na Ilha de Itaparica, de avião. E depois voltei pra casa de avião.




Também achei muito interessante. Ainda vou saber o que é, mas até lá segredo. Não quero que ele saiba que estava procurando especificamente por ele. Talve nunca mais o veja (amém). que assim seja. Embora o ame, as cartas me dizem que estou esperando demais e quedeveria estar prezando a amizade que consegui nesse tempo.

É, ainda leio as cartas. Devria fer açlgo diferente? stou maisforte e mais intuitivo. Não importa o quanto eu esteja mais altivo, mais bem vestido ou mais bonito, tudo me chama de volta, ou melhor, as cratas do tarot me chamam de volta. Msmo sem a morte, carta importante, pois nega bruscaente alguma coisa no sentido de mudança de direção, ainda consigo dizer precisamente o que elas dizem.

Te amo. Você é o pai que nunca tive e provavelmente nunca terei em casa. A bientot.

sábado, 29 de janeiro de 2011

Novos planos nova vida.

Como sempre tenho novidades. Nem tão boas nem tão ruins e nem tão como os que tinha quando comecei a ti escrever. Sabe, senhor Ramos, tenho tido muitas idéias boas neste tempo em que estivemos juntos.

Resolvi deixar minha visão para o segundo plano e outras coisas também.
Sim, o livro. Vou começar por outro e chamar de "o mag em mim". Será uma autobiografia de todo o tempo em que fui Mag, sendo eu mesmo.

Senhor Ramos, eu não me chamo Mag. Tenho um nome que não me pertence mesmo que o use na carteira de identidade. Lembra das cinco personagens que foram eu durante minha vida quase toda? Vou falar sobre eles e se gostar, vou publicar.

Na verdade não sei se vai vender alguma cópia. Mas pretendo que este seja o início de minha carreira de escritor. Adoror escrever. Me sinto mais livre quando escrevo. E me sinto mais travado também.

Sabia que eu tinha o sonho de escrever um livro e sempre que começava a escrever nada saia, ou simplesmente perdia o interesse? É, senhor Ramos, eu nunca consegui ir mais longe do que as linhas e meu preconceito formal me permitiam.Quase fiz isto. Mas aí veio a parte de juntar o pedaços. Como é que junta? Como é que descrevo detalhes para mim desinteressantes, e de importância sem igual para os leitores? E os detalhes que quero passar?

Sempre coisas pequenas. Não consigo escrever livro de ação por que perco a idéia por falta de sinônimo ou palavras que me façam dar a intenção que tanto desejo passar.

Por enquanto era só isso. Só queria repassar o que sinto pra você, que tanto me ouviu e tão bem me respondeu. Precisei muito de alguém assim por muito tempo.

Je t'aime, monsieur. A bientôt.

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Novo site? Acho que não.

Acho que vocês já notaram um ítem novo no meu blog.

Não? Olha pra cima. Algo que tem a ver com o site
Rewarding ways. Ah, foi um site novo que encontrei tentando fazer pontos no
Lockerz.

No lockerz, tenho de entrar, logar (2 zpoints) e depois responder a até 3 perguntas e receber talvez vmais 6 zpoints. Ainda não conheço o sistema do
Rewarding ways, mas tenho a impressão de que vou me dar super bem. Li uma reportagem, em inglês sobre o site e resolvi tentar e ver se consigo algo que há tanto desejo, tal como um ps3, um xbox, ou o tekken 6 que tanto desejo, ou mesmo o assassins creed 2, brother hood, que agora desejo.


Entra lá e vê se funciona, quem sabe a propaganda da pepsi está correta? "O que pode ser, pode ser muito bom"?

Sei lá, talvez você seja um grande competidor em busca de desafios mais fáceis ou de prêmios mais rápidos de conseguir.


E aí? Vem curtir você também!!


Rewarding ways

Join RewardingWays - The rewarding way to earn online!

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Retorno ao trono

Senhor Ramos, sei que tenho passado muito tempo longe daqui. Meu diário não está tendo a devida atenção. Mas sei que o senhor entende por que não apareço há algum tempo. O senhor sabe que eu te adoro e que gostaria de passar bem mais tempo aqui escrevendo no senhor, mas agora estou me ocupando mais, e tendo menos no que pensar.

Senhor Ramos, tenho tantas novidades. Conheci gente da rua, pessoas bem diferentes de mim que vivem em condições diferentes e que estão bem melhor do que eu.

Sei lá, me senti mais perto de casa do que na minha casa. Há tanta coisa que poderia se fazer por eles e por mim. Não sei, talvez eu pudesse sair pelo mundo como um deles, ou viver na rua e conhecer o resto do mundo.

Ai ai. Já vou. A bientôt.

sábado, 15 de janeiro de 2011

passagem de hoje

É, eu sei que estou relapso quanto as nossas conversas. Adoraria Adoro nossas conversas. Hoje estava tão triste quanto antes. Na verdade o mesmo de sempre.

Senhor Ramos, faz algum tempo que parei de fazer o que fazia. Tá bom, eu parei de mentir como mentia, parei de ser quem eu poderia ser e me tornar quem eu sou, parei de fingir e passei a simular. Entre outras coisas. E Matei Mag. É, ainda sinto falta dele. Fui ele por maior parte da minha vida. Sabe, senhor Ramos, adoraria vê-lo de novo, sê-lo de novo.

Sabe, poderia fazer minha vida valer mais a vida. Ainda não sei. Mas logo poderia ter algo que me fizesse descobrir. Sim, ainda pretendo escrever o livro. E continuo escrevendo os primeiros capítulos e esquecendo o resto.

Já contei que estou fazendo cálculo A? Está muito interessante. O senhor me conhece bem. Bem até demais. Só não conta pra ninguém. É desse jeito que eu aprendo as coisas. Indiferente à isto eu gostaria de dizer que também senti e muito sua falta. Você é alguém com quem posso conversar sem me importar se digo besteira ou não. Sabe, você é o pai que nunca tive e nunca vou ter. Já que o meu de nada serve a não ser pra dar o dinheiro, e nem mesmo pra isto. Gostaria de ser adotado por alguém muito rico. Não, minha alma é pra algo que valesse bem mais do que o que eu acho que tem muito, muito valor. Sabe, pretendo concluir o que comecei no ano passado.

Sim, aquilo que sempre falo, o fim do "acordo". Já descobri que só funciono se faço no impulso. Não, da forma normal como todo mundo faz não funciona.Se quero faze algo tem que ser no impulso, senão não vai. Por que acha que ainda sou virgem com tudo o que já fiz?

Ainda preciso melhorar algumas coisas. Na verdade tenho que mudar completamente. Já vou. A bientôt.

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Expectativas, apenas expectativas

Olá, senhor Ramos. Como eu tinha falado, não vou mais escrever meu diário. Porém, vou manter uma espécie de diário. Vou falar o bastante sobre todas as coisas que se passam pela minha mente. E pelas coisas que gostaria de falar e não saem da minha boca.

Senhor Ramos, eu tenho percebido que estas coisas não saem da minha boca, por que não preciso abrí-la. Ou não tenho precisado abrir. Tenho estado entre o entediado e o deprimido estes dias. Minha mãe foi operada hoje e deve voltar na semana que vem. Retirada de útero se bem me lembro. Não, eu estou bem. Não é nada que comprometa minhas características sentimentais. E eu nem falei do curso de férias que comecei esta semana.

Achei bem divertido. E conheci um garoto ao estilo que não sou muito chegado. Senhor Ramos! Homofobia é crime. Olha, senhor Ramos, eu não tenho conseguido diferenciar quem é menor de 20 e quem é maior, como é que conseguiria fazer diferenciação entre quem é hetero e quem não é?

Não sei. Gostei dele. Ele é diferente, apesar de se vestir meio na moda. Quieto ao estilo tradicional do curso, semi-visível, não é sexy, e nem é feio, é simplesmente bonitinho numa escala de sexy a mata-mosquito. Não posso dizer nada sobre isso, senhor Ramos, mas posso dizer que pretendo resolver ainda neste semestre. Concordo, mas eu tenho que me definir. E terminar logo com o que restou de Mag em mim. Fui Mag por 20 anos, será complicao terminar com uma relaçõ de anti-... como posso dizer? Vitaliciedade? ... é, uma relção de anti-vitaliciedade. Já vou. Meu irmão quer assistir à um filme, e eu também. A bientôt.

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Cansei do diário, vou traalhar apenas nas postulações.

http://forums.otserv.com.br/showthread.php?t=9368

leia. É um debate muito interessante sobre como escrever um livro. Quero dizer: escrever um livro é fácil, difícil é desenvolver e acreditar que está ótimo e ainda vender depois.

Desde quando era pequeno eu tinha o maior desejo de escrever um livro sobre alguma coisa. Qualquer coisa. Mas sempre saia uma merda. Ah, obrigado, monsieur Ramos. Senhor Ramos me disse que eu sou um ótimo escritor.

Eu escrevo bem, mas não desenvolvo tema. Do que adianta escrever bem e não desenvolver o tema? Adoro jogar. Adoro vários tipos de jogos, mas prefiro jogos de luta. São divertidos, desestressam, retornam nossa natureza mais profunda que as igrejas, a sociedade e o cacete escambal não nos permitem revelar.

Sim, meus senhores. Eu não sou santo. Posso me passar por anjo, do mais angelical, mas não por santo. Confesso que estou mais para qualquer outro tipo de coisa. Amo jogos. Prefiro brincar com a mente das pessoas. Sabia que é mais divertido fazer parecer cinco coisas diferentes para uma mesma pessoa, e confundir, do que ser a mesma pessoa e não conseguir convencer?

Sei perfeitamente o que é isto. Quando eu era alguns meses mais novo, eu fiz isso. O resultado? Tem certeza de que quer saber, monsieur Ramos. Acho melhor não dizer. Só digo que na maioria das vezes é melhor fingir ser qualquer outra pessoa a reagir como se fosse a própria pessoa.

Deveria abrir um blog chamado suicídio.blogspot.com, se você for se matar me liga. Talvez você possa mudar a minha vida. Pena que o senhor não pode escrever o senhor mesmo o que acaba de me perguntar.

A bientôt.

domingo, 2 de janeiro de 2011

Capítulo de finalização

mudei meus planos, senhor Ramos. O diário foi bruscamente interrompido pela falta de internet, logo resolvi fazer diferente. Por que fazer capítulos diários se posso falar diariamente de outras formas?
Ontem criei um bloco de anotações reciclado usando um arame de garrafa de sidra, folhas de papel usadas de um lado, caixa de bombom vazia e, alicate, e algo pra furar e um outro bloco para servir de base. Vou ensinar.

Arranje um papel ou algo rígido. para fazer a capa da frente e de trás. É só para dar enfeite ao papel. Com o alicate, qualquer alicate serve, é somente para alongar o arame da sidra e torná-lo mais fácil de trabalhar.

Agora, mão no bloco. Com o bloco de base faça as marcações para onde quer os furos.

*Dica: quando for preparar a parte que segura as folhas
(se não quiser chamar de espiral)
você não precisa fazer todos os furos do bloco de base.
Basta escolher um valor menor, tal como seis furos,
cinco furos, ou menos.

Quanto maior a quantidade de furos que você fizer, maior o
trabalho para furar e ordenar de acordo com o tamanho.

Eu fiz com um bloco que corresponde a um folh
a de a4 ou papel ofício dobrado. Contei 17 furos e marquei nos furos 1, 9 e 17. com 24 folhas, que me deu 48 folhas depois de cortado e furado.

Como é que você vai fazer a espiral?
  1. escolha o tamanho;
    • O tamanho é importante para definir o que você fará depois.
  2. escolha a quantidade de furos;
    • A quantidade de furos vai determinar a dificuldde do seu trabalho. Quanto menor a quantidade de furos mais frágil o bloco>
  3. escolha o formato;
  4. escola o tamanho da espiral;
  5. defina a posição e as marcações;
Isto é meramente teoria. Como disse escolhi um bloco de 17 furos de tamanho igual a metade de uma folha de papel a4. Determinei 3 furos. Pus os furos na parte superior do bloco (pode ser em qualquer parte).

Faça o seguinte veja as duas espirais abaixo:

espiral unidirecionalespiral unidirecional -> arumar algo cilindrico e rígido e contornar o objeto com voltas regulares de espaços regulares. Ou comprar a espiral pronta na papelaria, ou pegar dos cadernos velhos.












espiral bate e volta. É uma espiral que não é exatemente espiral.
Aqui a forma é a seginte:

__||__||__||__||__

no lugar das barras é um dobra com no vértice do V.
E nas partes horizontais a dobra é de 90 graus.











Depois eu digo como terminar. Mas é bem divertido.
Marinaldo_barbosa@hotmail.com para saber como faz e como termina. A bientôt, monsieur.

Selecione outra página.
=>

Viaje pelas tags do blog: