terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Cansei do diário, vou traalhar apenas nas postulações.

http://forums.otserv.com.br/showthread.php?t=9368

leia. É um debate muito interessante sobre como escrever um livro. Quero dizer: escrever um livro é fácil, difícil é desenvolver e acreditar que está ótimo e ainda vender depois.

Desde quando era pequeno eu tinha o maior desejo de escrever um livro sobre alguma coisa. Qualquer coisa. Mas sempre saia uma merda. Ah, obrigado, monsieur Ramos. Senhor Ramos me disse que eu sou um ótimo escritor.

Eu escrevo bem, mas não desenvolvo tema. Do que adianta escrever bem e não desenvolver o tema? Adoro jogar. Adoro vários tipos de jogos, mas prefiro jogos de luta. São divertidos, desestressam, retornam nossa natureza mais profunda que as igrejas, a sociedade e o cacete escambal não nos permitem revelar.

Sim, meus senhores. Eu não sou santo. Posso me passar por anjo, do mais angelical, mas não por santo. Confesso que estou mais para qualquer outro tipo de coisa. Amo jogos. Prefiro brincar com a mente das pessoas. Sabia que é mais divertido fazer parecer cinco coisas diferentes para uma mesma pessoa, e confundir, do que ser a mesma pessoa e não conseguir convencer?

Sei perfeitamente o que é isto. Quando eu era alguns meses mais novo, eu fiz isso. O resultado? Tem certeza de que quer saber, monsieur Ramos. Acho melhor não dizer. Só digo que na maioria das vezes é melhor fingir ser qualquer outra pessoa a reagir como se fosse a própria pessoa.

Deveria abrir um blog chamado suicídio.blogspot.com, se você for se matar me liga. Talvez você possa mudar a minha vida. Pena que o senhor não pode escrever o senhor mesmo o que acaba de me perguntar.

A bientôt.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Selecione outra página.
=>

Viaje pelas tags do blog: