segunda-feira, 23 de maio de 2011

Um algo ppara usar o artigo possessivo na primeira pessoa do singular

Senhor Ramos, estou deprimido. Ainda sinto falta do que nuca tive. Ainda sinto desejo pelo que nunca será meu. Ainda sinto uma vontade imensa de me jogar embaixo de um ônibus sobrecarregado de gente. Ainda desejo morrer toda vez que olho pra pessoa de sempre.

Ainda preciso de tanta coisa, que se eu terminar a lista eu vou ter texto que não acaba mais. Gostaria simplesmente de poder morrer em paz. Uma gota de arsênico, uma morte súbita. E aí vem o desejo e a esperança de que o que desejo um dia virá para mim.

Como se eu já não soubesse disso. O senhor sempre me dá ótimos conselhos e ótimas dicas para momentos como este. Tá, nem tanto como este. E convenhamos que são sempre bons. Não tenho trabalho para me jogar de copo e alma. Vou guardar este animal aonde? Não tenho paciência para crianças. Não depois que perdi minha vontade de conviver com crianças.

Criar alguma coisa exige algo que não tenho de sobra: dinheiro. E quem me daria tanto dinheiro. Olha, deus está coberto de dívidas. Muita gente comprando e pondo na conta dele. Ele tem uma dívida enorme pra pagar desde que inventaram o "deus lhe pague".

Era para ser algo cômico. Quero aprender algo novo. Algo que não me entedie. E quero conhecer alguém que me leve a fazer loucuras e me mostre como o mundo deve ser visto. Eu sei que é muito desejo para pouca pessoa. Então realiza isto: Eu desejo ser amado e desejado, e que seja por alguém a quem possa retribuir. E aí? Por que eu definiria? Não há mais nada que me segure neste corpo.

Nunca deixou de ser um corpo, nem quando eu comecei a me apegar a ele. É como me apegar a um pedaço de linguiça toscana. É macia, é gostosa, e em, algum momento,deixará de existir enquanto linguiça.

Eu percebi sim. E percebi que minha auto estima está piorando. E minha... chega. Não quero mais falar sobre isto. Me fala sobre o senhor. Como o senhor tem passado. Ao menos me distrai dos meus pensamentos ociosos. às vezes nada pode ser bem mais do que o suficiente. Teoria da relatividade? Funciona. Mas ainda sou do teorema de que, na prática, a teoria nem sempre funciona.

Que o digam os primeiros navegadores. Claro! No início, as coisas aconteciam por acidente. Depois se tornou por motivo de guerra, e depois por motivos fúteis. Os seres humanos são malucos e não sabem quando parar. Esquizofrênicos seria um bom termo para classificar em geral a espécie humana. Não deixo de ser humano. Muitos erros eu adorei ter cometido. Outros eu gostaria de refazer de algum modo diferente. Por exemplo aquele caso do cara no ônibus. Pensei em muitas e muitas cenas diferentes (em menos de uma semana) para refazer cada detalhe daquela cena. E olha aonde estou.

Eu adoro não saber do que realmente gosto. Me dá a falsa sensação de liberdade de escolha quanto à minha sexualidade. Sem falar que não preciso sequer dizer que sou hetero para uns, ao passo em que posso me parecer com os dois sem me definir claramente quem realmente sou.

Não me importo. Antes gay do que falido, casado há dois anos com uma mulher que não sabe o que é beleza e muitos filhos pra criar. Tá. Corrigindo. Casado com uma mulher que acha que o círculo em volta da casa é o poder de deus evitando que qualquer pessoa saia. Tinha que botar os evangélicos no meio, não é senhor Ramos. Odeio os evangélicos e os cristãos. Eles não sabem ouvir. Apenas querem que as pessoas de outras religiões sejam destruídas pelo deus cristão, e que todo o resto se foda até encontrar o caminho de um senhor que sequer existe.

Destruiria uma igreja se (a)o don(a)o do meu coração ordenasse. Uma não, todas. Simultaneamente. Como uma explosão de fogos de artifícios no revellion. Sem pensar e sem refletir. O signo de escorpião e o de serpente, combinados, lhe dizem alguma coisa? Não sei. Mas que desejo, e tenho muitos desejos, eu desejo. E realizaria se assim desejasse e tivesse coragem o suficiente.

Somos apenas um garoto de 5 anos perdidos dentro de um corpo de mais que 4x esta idade. Ser uma criança? Não ser? Faz diferença? Desde de que não tenha que assistir ao Renato Aragão com suas palhaçadas sem graça e nem ao "rei" bundão que é uma merda, ( e dá bons e raros exemplos) Roberto Carlos... Não sou feliz. Nunca fui, mas pretendo ser.

E o que é a felicidade? Não senhor Ramos, é apenas mais um termo inútil que nada mais é do que a representação fonética de algo que as pessoas não sabem o que é. O mesmo eu digo para amor. Mag quer que eu defina quem eu sou até o final da semana para que a gente refaça totalmente nossa vida. Do perfil doce que sempre nos usamos, ao suave toque de nossas mãos em superfícies macias, tais como pele, veludo, entre outros...

Ele não quer saber. Não podemos mais ser este doce personagem falso. Marinaldo não existe. É apenas uma definição. "um nome que se dá a uma criança" para que ela sofra até o fim carregando como mártir um nome que não lhe pertence. E daí? Eu te refaço a pergunta: E se jesus cristo tivesse aceitado a proposta do diabo. Ele teria sido muito mais feliz. E nunca se arrependeria de sua escolha. Por que deus ama seus filhos. Por que com o diabo é diferente?

Se eu fosse Jesus e soubesse do meu suicídio (sim, saber que vai morrer e manter o caminho da morte é suicídio) eu teria aceitado numa boa qualquer coisa que o diabo tivesse me oferecido. Se ele dissesse "Se ajoelha e engole o meu gozo, e eu te darei o mundo" eu aceitaria. "Deita. Rola. Finge de morto. Finge que foi pregado na cruz. Bom garoto! Agora grita ao senhor teu deus." eu faria com o maior prazer. "trepa com a árvore. Se masturba adoidado." Ele teria minha alma sem sequer abrir a boca.

E daí? Depois da morte, não existe dor. Lamentação? Algo que não se sente dói? Não, aí se chama loucura. Se ele passar por mim e me oferecer seja o que for... Digo agora que não sei o que faria.

Diria isto para qualquer pergunta sobre uma possibilidade inexistente futura. O futuro não pertence a ninguém. É apenas uma carreira de conseqüências que geram ações inconsequetes e mais conseqüências duras. Uma ação gera uma cadeia de consequencias. Isto ninguém ensina na escola. Dizer para um hetero que o ama é chamar a morte pelo nome e chamar os amigos para um show de pancadaria E nunca para por aí.

Sim, estou muitíssimo inspirado Continuaria digitando até destilar todo o meu veneno. O senhor me faz pensar. E Mag me faz refletir. Fui Mag por mais de 20 anos. Tenho que ter uma boa consideração por ele. Foi ele quem não deixou eu cometer o suicídio aos 15.

Tem certeza? Vai ficar bem? Tá bom. Atendendo ao seu pedido, eu vou dormir. Mas nõ antes de dar uns tapas em alguém usando a Anna Williams. Adoro ela. Tá. Te amo. Ich liebe dich. A bientôt.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Selecione outra página.
=>

Viaje pelas tags do blog: