domingo, 31 de julho de 2011

I have nothing to say

Senhor Ramos, sinto tanto em não poder ser mas como eu era antigamente. Continuo não gostando e não sabendo nada de inglês. Adoro ser ignorante em muitas coisas. É eu sei. Mas, por que deveria me tornar um adulto com muitos conhecimentos?

Senti muita falta de conversar com o senhor. O senhor me entende sempre. Desde os momentos em que não tenho a menor consciência do que estou falando aos momentos de incoerência completa. O senhor sabia...? Claro que o senhor saberia. Bom, estou pensando em largar tudo. Penso muito sobre isto. E sei que não teria a mesma coragem sem ajuda do glorioso Mag. Foi por causa dele que estou aqui escrevendo no senhor. Há tanta coisa que gostaria de falar para alguém em especial...

Não, não adiantaria de nada. Mesmo que fale... bom, não adiantaria. Me sinto só. Tenho me sentido cada vez mais solitário. Na Sexta passada eu conversei com um colega de trabalho. Ele tinha perguntas pertinentes para alguém que estava tentando traçar o perfil. E depois que ele saiu, me senti tão... só.

Isto me fez pensar. O que realmente é uma coisa que preciso parar de fazer. Sei que posso fazer isto. Mas será que devo? Ninguém precisa saber dos meus planos. E ninguém quer precisa saber dos meus planos. Se eu prentender dizimar metade da população mestiça do mundo, o que as pessoas terão com isto? Só quero destruir completamente qualquer igreja seguidora de bíblia e trucidar seus seguidores. Pra isso só vou precisar de umas trinta pessoas sem escrúpulos e de mente frágil e mais duas centenas de pessoas influenciantes com um traços similares ao meu quanto às tragédias públicas.

Quem me conhece sabe que eu não demonstro sentimentos que não tenho. Não vou sentir nada no momento que este plano estiver concretizado. Ao menos vou ter mais espaço para trabalho, domicílio e talvez me torne chefe do conselho do maluco o qual estarei subordinando com minhas palavras.

Existem idiotas pra tudo. De religiosos à terroristas. Desde que eu fique longe da mídia e finja que estou fazendo sugestões opostas as quais o maluco testa de ferro executa. Ninguém sabe quem de fato está por trás de nada. As pessoas só enxergam ou o que está diante dos olhos ou quando está diante dos fatos.

Bom, por hoje chega. Falei muito. Claro, se querem me conhecer devem me procurar pessoalmente. Falar sobre mim por que? Independente de isto ser um diário, gostaria que as pessoas soubessem que eu preso o conhecimento próprio. O que elas não vão conseguir extraindo informações de um livro como este.

Estou aprendendo muito. Estou fazendo xerox quase perfeita. Aprendi alguns truques interessantes, estou pensando em começar tudo aquilo que eu disse que ia fazer, e até hoje não fiz.

Sou jovem. Independente disso. Bom, o que ía falar, é que... Eu não tenho tanto tempo assim. Cada dia vivido é u passo para a morte. Quantos dias mais eu ainda tenho? 100 é muito pouco tempo, principalmente para pessoas como eu que não tem nada na bagagem e perdeu todas as malas na viagem anterior. Eu adoraria dizer pra uma pessoa sofrida "sinto muito", mas eu não sinto nada. O que eu sei é que não importa o que eu faça, continuarei não sabendo nada.

Virgindade não faz parte disto. Sou virgem sim, nunca fui santo, pretendo me tornar um bruxo ou um mago. Não me importaria de vender o meu corpo, não tenho medo de vender minha alma. Me arrependo sim... De nunca ter vendido antes. Sabe o que eu poderia ter tido? Acompanhe a lista abaixo:

  • Qualquer poder dos x-men (uma mistura de Jin gray, Vampira, Mystica e algum pensador muito forte que consegue criar poderes novos com o pensamento);
  • Uma vida de prestígio (não o chocolate, todo o dinheiro do mundo);
  • Uma vida sem preocupação;
  • ...
Sim, e todos nós - exceto o senhor - não irmos para o inferno? De que importa ser santo e digno em vida se todos sofremos antes, durante e depois da morte? Me responda esta!

P.S: Nunca pensa nada negativo no caminho de qualquer lugar que seja. Atualmente eu penso em andar com um Personal SiantFather do lado. Pai de santo pessoal. Só por garantia.

Te amo. Em qualquer língua que seja. O senhor é o pai, o amigo, o colega e o apoio que eu nunca tive.

sábado, 16 de julho de 2011

Engel

Aqui, jaz um corpo. Uma alma, uma mente e um homem.

Dentro de mim não há mais aquele que reage, aqui dentro desta casca fria de um ser humano jaz um bom menino.

Perdi tantas batalhas num mundo frívolo que resolvi me deixar derrotar pela última vez, enquanto despeço-me daquilo que mais amo.

O que amo? Was ist das Lieb? Was ist lieben? Was bedeut das lieb? O que é o amor?
Amor?Não faço ideia do que seja. Então despeço-me daquilo que gosto com mais força. Meus jogos, algumas pessoas em especial. Uma personalidade que adoraria ter conhecido bem mais que meus jogos mais "amados".

Não, isto não é uma carta de suicícido. Eu já morri. Meu corpo? ele é apenas um zumbi.
E o resto... entenda da forma que preferir...

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Um segredo...

Era uma vez, num belo dia de sol, um menino de nome desconhecido.
(música de fundo: wolfen (das tier in mier) - E nomine
P.S: Deixe a música no modo repetição)

Um belo dia de sol. Um menino. Muitos outros meninos de quase a mesma idade. Uma emoção.
Na vida deste pobre menino nada fora fácil, principalmente sua vida secreta, restrita entre as quatro paredes de sua mente. Muitos segredos dos quais não fizera a menor questão de guardar em função de um único segredo o qual permearia sua vida de uma única vez, ou salvaria.

Não, esta história não é sobre este segredo, mas sobre como ele fora há tanto guardado. Nosso menino de nome desconhecido tentara se matar há anos atrás. Uma única vez que seria definitiva... se ele não houvesse feito um plano para evitar que tal acontecimento acontecesse.

Não fora difícil para um menino virgem, como sempre fora, permanecer escondido dentro de sua própria mente. Assim como não fora difícil modificar completamente sua linha de pensamento. E daí surge os seus segredos. Um mais pesado que o outro, mas nenhum tão forte quanto o principal.

Assistira a um vizinho, jovem, bonito, de pele alva, o mais bonito que conhecera até então, se masturbar enquanto assistia a um filme porno no portão da casa de outro vizinho. Nada de mais, não é mesmo? Deste momento nosso protagonista teve outra ideia: "por que fingir que sou não tenho sexo se posso fingir que sou gay? Ninguém notará a diferença." E então o tempo foi passando. Seu plano dera certo, mas faltava algo.

Não, ser gay nunca fora segredo forte o suficiente. Ele precisara de algo que fosse mais forte, algo que o mantivesse nas sombras. E então ele olhou para uma imagem de publicidade. Um homem jovem, famoso, bonito, moreno, bem mais velho, e sexy. Era um ator de uma novela finda há tanto. E pensou: "Eu me apaixonei por ele." E assim foi no primeiro dia, no segundo, terceiro...

Já dizia um velho ditado popular "Mentira muito repetida se torna verdade" . E ele usou isto a seu favor. Não demorara muito para notar os resultados. Ele realmente se tornara aficcionado pelo ator de sobrenome Gagliasso. E desde então procurara e encontrara fotos aparentemente comprometedoras, apenas ilustrativas de seu corpo, pois nunca pousaria nu.

E desde então manteve este segredo como pretexto para manter os outros. Mas não funcionaria por muito tempo. Anos se passaram, e nosso protagonista mudara com eles. Gostar de homem e gostar de um homem específico deixara de ser suficiente. Ele se apaixonara pelo colega de sala. Um homem mais novo. Um espetáculo da natureza, algo impressionante.

Ele sabia o que poderia e o que deveria ter feito. O que? Você deve estar se perguntando.
Ele não fez o que deveria. Ele acabou, de fato, se apaixonando por alguém do mesmo sexo. Não fora fácil no começo. E nunca seria. Principalmente pelo fato de saber que nunca teria possibilidade alguma com ele.

Como falei no começo desta história, eu não estou contando uma história. Meu objetivo não é comentar cada segredo do nosso protagonista. Meu objetivo é desvendar cada um dos segredos a partir do segundo maior. Isto sem revelar sequer uma mínima parte deste segredo que está em primeiro lugar.

Faz pouco tempo que este amor nasceu. O maior dos segredos deste não tão ilustre personagem desde então está quase em evidência. E ele pede a sua ajuda. Um comentário falando sobe o que fazer... Um conselho... O que e no que puder ajudar este pobre personagem fadado ao fracasso amoroso...

Esta história não tem fim, ela está em andamento neste exato momento. E, contrariando ao que eu houvera falado no início desta crônica, eu revelei o segredo... O maior deles.

domingo, 10 de julho de 2011

Pensamentos, breves pensamentos

Sr. Ramos, estava pensando no que disse ao senhor ontem. Tudo é uma metáfora. Qualquer coisa é uma metáfora. Se eu disser sai do armário, é uma metáfora. E se não falar nada, ainda assim vai ser uma metáfora.

Que bom que perguntou. Se qualquer coisa falada ou não é uma metáfora, por que muitas pessoas não conseguem entender simbolificações simples? Tipo, quando uma pessoa presta tanta atenção que dá raiva, não significa algo além da intenção de ouvir? Notar coisas pequenas que ninguém mais nota, deve ser algo além de conhecimentos específicos próprios, não acha?

Tentei ser objetivo, mas o senhor sabe como é. É muito complicado ser objetivo quando não se fala de algo concreto. Não faz diferença. Falar gera uma metáfora que envolve cada uma das palavras ditas. Não falar indica bem mais do que um ato de omissão. Então... Bom, é isso. Não sei pra onde ir.

Filosofia e poesia são coisas sem pé e nem cabeça que forçam estudos inúteis sobre coisas que mais tarde com certeza continuarão inúteis. Embora pareçam bonitas na maioria das vezes.

Sempre existe uma segunda intenção. Inerente às intenções nas quais se baseiam as intenções humanas. São geralmente subconscientes, e indiscutíveis. Um hetero conversando com uma mulher sexualmente atrativa é intenção de cópula. Faz diferença dizer sexo? Então, posso continuar? Bom... Uma mulher descompromissada conversando com um hetero solteiro nada mais é que conversa, pre e sucedida de intenção de conhecimento de território.

Era outra coisa na qual eu estava pensando. Homens e mulheres... são todos iguais. Homens são mulheres com conhecimento tático de guerra e planejamento de ataques furtivos. Mulheres são homens com conhecimentos de sedução e ataques sutis.

Se eu for mais fundo... Homens são mulheres que podem gerar ninhadas em outras mulheres. Mulheres são homens que geram as ninhadas dos outros homens.

Como eu gostaria de voltar a pensar assim. Adoraria voltar a ter aquele inocência que pensa que os homens e as mulheres só tem pensamentos bons e pensam nos outros como bons cidadãos. E que a vida é um conto de fadas em que o príncipe encantado, e a princesa, sempre se encontram no final e serão felizes para sempre. E gostaria de voltar a pensar que as pessoas nunca teriam nem coragem e nem capacidade de matar umas as outras como se matassem um frango, ou um sapo. Eu nunca fui inocente. A minha condição de ser humano me impede de ser inocente, a minha condição de criança ex-inocente me impede de acreditar que os homens são bons e que as mulheres são tão idiotas quanto as princesas dos contos de fadas.

Faz tempo que não acredito mais que as crianças são tão inocentes quanto deveriam parecer. Quando eu era criança eu já não era inocente. Imagine estas crianças de hoje que sabem bem mais do que seus pais no quesito insanidade, sexo e violência. De certa forma prefiro a idde média, em que as pessoas copulavam sem se preocupar com nada, as crianças eram tratadas com futuros adultos, e os homens usados como isca de de guerreiros inimigos.

Em outro momento prefiro a década de 50, em que as pessoas, independente de sua condição financeira, viviam e se vestiam com classe. Sinto falta da classe nas pessoas. Os ricos se vestem como mendigos, os pobres se vestem como as celebridades, os mendigos assaltam e se vestem com o que tem... Sinto falta de ver uma criança fêmea vestida como uma garota da idade que parece. E uma criança macho vestido como um menino. As crianças se vestem como adultos. As crianças agem como adultos, e são tratadas pelos adultos como crianças.

Parece mais confuso olhando de fora do que de dentro. Não sou rico, mas tenho classe. Não sou pobre, mas me visto com o que tenho e me faz me sentir mais ou menos.

Melhor, né? Falei de mais. Daqui pouco pode aparecer alguém da mídia falando que o meu blog ofendeu a sociedade inteira. Não, famoso não fico não. Não gosto de aparecer. Ser discreto me ajuda em muitas coisas, ser celebridade não vai ajudar nas mesmas coisas.

Já vou. Bis später.

sábado, 9 de julho de 2011

Eu sou carente

Há tanto tempo que quero dizer isto...
Sr. Ramos, não sei mais o que fazer. Não faria a menor diferença neste momento. Sei lá, um pessoa dependente de mim? Não dá. Detesto cachorro. Prefiro os gatos. Senhor Ramos, não adianta... esquece. Bom, queria falar alguma novidade para o senhor. O problema é exatamente este. Não tenho nenhuma novidade.

Tô pensando em tatuar nas minhas costas "Uma vez... sempre...". Parece uma metáfora. O que de certa forma não deixa de ser. É para não tatuar "Para sempre virgem". Uma metáfora teria bem mais a ver comigo. O senhor acha mesmo? Pareço tão metafórico assim?

Pensei nesta parte também. E pensei num significado concreto para esta metáfora. Mas aí teria que explicar Behavior, Freud, Foucault entre outras personalidades filosóficas e ou psiquiatricas.

Esquece o livro... por enquanto. Vou ter que revisar tudo e escrever aventura a aventura do começo ao fim. Mag não é uma mulher. Mag é um metamorfo, especializado em figuras sexualmente atrativas. Ele é especialista em sensualidade feminina e masculina. Ele não é um personagem qualquer que muda de corpo o tempo todo.

Sem-nome? Este perdeu a identidade completamente pouco a pouco. Ele se especializou em magia branca para entrar em livros que amava e com isso perdeu não só sua personalidade mais influente como toda sua identidade. Ele deixou de ser Alguém para se tornar Algum. Você entendeu? Alguém se refere a uma essoa com nome, endereço, cpf, outros documentos, personalidade fixa, características físicas e psicológicas estabelecidas num prazo de anos... Algum é como se fosse um corpo sem alma. Algo desumanizado, ... É confuso explicar assim. Mas dá pra saber.

Marinaldo ( no Japoês Marinarudo) é alguém que não sabe quem é e nem o que quer. Não, falar dele não é falar de mim. Eu sou Magoexodia. O grande que escolheu fazer o bem.

Estou mais calmo. Deveria escrever um livro sobre mim, realmente.

Bis später.

quarta-feira, 6 de julho de 2011

DECLARAÇÃO DE ISENÇÃO DE IRPF -- Universidade presbiteriana Mackenzie

DECLARAÇÃO DE ISENÇÃO DE IRPF

Eu, ________________________________________________, RG _________________________, CPF _________________________________, declaro sob as penas das Leis Civil e Penal que sou Isento de Declaração Anual de Imposto de Renda de Pessoa Física, conforme regulamento da Receita Federal do Brasil. Pois no ano anterior não obtive rendimento provindos de trabalho assalariado, proventos de aposentadorias, pensões, aluguéis ou atividade rural suficientes para declarar IRPF neste ano, e não me enquadro nos demais casos que obrigam a entrega da Declaração Anual de Imposto de Renda de Pessoa Física.

Assumo a responsabilidade de informar imediatamente à Universidade Presbiteriana Mackenzie, a alteração dessa situação, apresentando a documentação comprobatória.

São Paulo, ___ de_____________ de _______

_____________________________________

Assinatura

--------------------------------------------------------------------------------------

Veja também tutorial modelo de isenção de imposto de renda neste mesmo blog.

terça-feira, 5 de julho de 2011

Protesto contra as mudanças no código penal

Convido todo e qualquer homem de bem (ou não), que queira se sentir permanentemente seguro e/ou que deseje maior segurança para si próprio e sua família, para que venham às ruas para um linchamento coletivo em qualquer e cada situação de roubo, assalto, e ou qualquer outro evento violento em que o meliante (de menor ou não) se saia livre.

O governo do Brasil oferece 4 mil dólares (que serão convertidos em reais) em redução de impostos para cada 30 assaltantes e outros tipos de meliantes longe da cadeia e fora de combate (impossibilitado de cometer crimes).

O governo estadual oferece obras públicas de saneamento básico, educação, reformas de todo patrimônio público e redução da burocracia. Não obstante à isto, o governo federal oferece maiores investimentos em áreas desconsideradas até então. Tais como cargos públicos fundamentais, esportes diversos e as artes. E os municípios oferecem retorno direto dos investimentos públicos em benefício da população.

O governo, e o povo agradecem à sua ajuda independente de qual seja o seu motivo individual de participação nesta manifestação direta contra a insegurança pública e os seus malfeitos.

O governo declara sua indignação contra os efeitos das modificações no código penal, e declara apoio incondicional para qualquer cidadão de bem que promova ataque direto contra qualquer tipo de meliante, e que saia vencedor deste embate público anacrônico.

Atenciosamente
Eu, o governo e toda a população brasileira. E também os direitos humanos.

domingo, 3 de julho de 2011

Minhas desculpas

Mentira. Só vou me redimir e pedir desculpas públicas em e somente em uma ou várias das possibilidades abaixo listadas:
  • Oferta milionária;
  • Mudança política crucial;
  • Oferta de cargo de confiança com salário muito alto;
  • Situações realmente especiais, que só posso contar `uma pessoa que queira negociar;
  • Exceções que somente eu;
Parei de falar religião por hoje. Não, ainda quero que as religiões se auto destruam. Falando nisso...

Senhor Ramos, tenho uma confissão à fazer: Eu odeio crentes. E odeio beatos, odeio fiéis católicos, e acredito que a religião é uma parte da autodestruição humana.

Era só isso.
Bis später.

Selecione outra página.
=>

Viaje pelas tags do blog: