sexta-feira, 21 de outubro de 2011

O guarda-chuva

Era um interessante dia de chuva na cidade que mais ensolarada do país.
Chovia desde o início da semana, a cidade estava toda alagada. E ventava muito.
A chuva tendia a lavar tudo o que havia pela frente. De pó a terra.
Embora no meio da chuva viesse alguém escondido por sobre o guarda-chuva.
Um guarda-chuva azul com vários desenhos quadrados.
E o vento soprava. Soprava não com toda a sua força, pois resultaria num acidente grave.
Mas soprava.
E embora soprasse quem estava escondido por sob o guarda-chuva conseguia manter firme o guarda-chuva.
O vento então ficou curioso de quem seria ele. E então começou a soprar de todos os lados.
E ainda assim, quem quer que fosse, se manteve forte sob o guarda-chuva.
E quanto mais forte soprasse, mais forte o indivíduo parecia.
E então o vento parou com o esbanjamento de força e deixou o indivíduo seguir seu caminho.

Mas não havia parado de chover.
Aquele que se escondia sob a proteção do guarda-chuva mantinha-o aberto e sobre sua cabeça, evitando ao máximo se molhar.
E quando chegara ao seu destino, o indivíduo mostrou sua face ao vento e à chuva.
Era apenas um menino frágil tentando chegar em casa.

Moral da história: Os acontecimentos te levam apenas se você quiser que eles te levem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Selecione outra página.
=>

Viaje pelas tags do blog: