sábado, 19 de novembro de 2011

Es war einmail...

Era uma vez. Sempre uma vez. Nunca mais de uma vez na vida deste ilustre personagem.
Seu nome é Tempo. Sua vida o destino. Suas esperanças a sorte. Sua alma a sabedoria.
Tempo sempre vivera uma vida sedentária. Não corria para não atropelar as pessoas, não parava para não parecer estranho. Não voltava para que nada batesse contra ele.
Enfim, não vivia e nem queria morrer. Apenas permanecia numa vida insossa até que conhecera alguém que se tornara cada dia mais importante.
Tempo conhecera uma babá chamada Destino, e uma criança chamada Sorte.
Destino era uma bela mulher solteira que esperava sempre pela sorte de conhecer o homem que faria seu destino mudar completamente. Sorte era uma bela menina que desfrutava do seu direito de brincar com o que quisesse usar como brinquedo. E seu brinquedo preferido era uma boneca de plástico, já deformada pelas mordidas e batidas desajeitadas de uma criança tão pequena que era Sorte, a qual chamara Vida.
Todos os dias Tempo se encontrava com a Destino e com a pequena Sorte. E todos os dias a pequena Sorte brincava com a Vida. E depois de um certo tempo, e de um certo amadurecimento na relação entre o Tempo e a Destino, Tempo parava para ver Destino passar com a pequena Sorte e sua Vida. Até o dia que fora convidado para visitar a casa da pequena Sorte com o intuito de ajudar a cuidar da Sorte.
E, desde então, Tempo começara a observar que Sorte pintava e bordava com a Vida. E, depois que cansava, deixava a Vida em qualquer lugar onde deitasse e cochilasse. E Destino tão calmamente verificava a Vida e a consertava com ajuda do Tempo.
E assim fora desde então. Todos os dias Tempo ía visitar a pequena Sorte na sua casa para poder passar mais tempo com o Destino e para consertar tão dedicadamente a Vida, enquanto observava Destino por a Sorte no Berço e depois a Vida num lugar seguro da estante.

Não pensem vocês, meus caros, que esta história de amor terminou num "E todos foram felizes para sempre". Todos os dias o Tempo visita a pequena Sorte, que todos os dias parece crescida, só para poder ver a Destino. Eles estão felizes, e assim vão continuar.


Moral da história:
Se está se achando sem sorte hoje, então saiba que o destino conserta a vida com ajuda do tempo.
E depois de consertar põe a vida num lugar especial.


Ainda não descobri o meu lugar especial, mas acredito que é um caso de tempo. E de destino.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Selecione outra página.
=>

Viaje pelas tags do blog: