quinta-feira, 5 de abril de 2012

Açucar para acalmar o ácido sulfúrico

Sr. Ramos. Hoje estou numa fase bem diferente de qualquer outro momento em que conversei com o senhor.
Estou entre o quero matar "alguém" e o quero morrer. Estou destruído por dentro. Me sinto rejeitado, frustrado, incompreendido, discriminado. Me sinto recheado de emoções, as quais nunca saberia dar nomes.

Me sinto plenamente destruído como se tivesse sido levado por um carro a 500km/h. Como se tivessem explodido o planeta em mim. Como se tivessem decomposto cada pedaço do meu dna. Como se tivessem feito isso e depois recomposto exatamente como ele era.

Gostaria de falar tudo o que estou sentindo neste exato momento, mas palavras derramadas ao vento não vão fazer melhorar este estado de humor. Bom, o motivo foi que a única pessoa cabível em meus requisitos se interessou e depois se desinteressou. Mas o que doeu mais não foi ter sido rejeitado por alguém que eu sequer conheci. oi o fato de ter sido rejeitado por alguém que simplesmente parece não aceitar a si próprio e aos outros que aceitam a si próprios.

Isto me deixou frustrado. Não posso ser homem de testar não sê-lo. Este é o meu segredo. Não quero seguir meu caminho antes de saber qual o caminho que posso evitar. Estou buscando algo além de relacionamento, ciúmes e sexo. Mas isto parece simplesmente que não existe.

Resolvi que, definitivamente, não serei de ninguém. Sei quais serão as consequências. Já as conhecia antes de tentar. Sei vou me tornar a velha solitária cheia de gatos. Mas não me importo mais. Os gatos não ferem aos outros quando não se sentem feridos. E eles não respondem a qualquer sinal de perigo.

Me sinto e ajo como os gatos. Não sei por que, mas o desapego que tenho das pessoas me torna mais apto a sacrificar pequenos afetos. Me deixar apegar aos poucos ficou melhor de suportar do que perder de vez.

Me desculpa se fui um tanto quanto displicente. Mas a significância do que sinto entre momento está entre o que eu sou e o que eu deveria ter sido. Isso, um arrependimento profundo de alguma coisa que nunca fiz e nunca vou fazer independente de quantas vidas eu viva. Infelizmente, o que seria uma esperança tornou-se apenas um sono perdido. Acho que não preciso dizer mais nada.

Ich liebe dich.

Selecione outra página.
=>

Viaje pelas tags do blog: