segunda-feira, 18 de abril de 2011

Nada a pensar

Fiquei algum tempo pensando em voltar a falar com o senhor, Senhor Ramos. Eu estava ... Nem tanto, eu queria dizer tudo aquilo. Mas queria dizer de forma mais propícia aos uvidos alheios.

Não sei o que as pessoas pensam de outras pessoas que gostam de ouvir das mortes de outras pessoas. Mas o que sei é que prefiro saber que uma pessoa morreu do que ouvir que um pessoa foi torturada, ou que morreu por que não aguentou alguma coisa que aconteceu em sua vida.

O senhor sabe perfeitamente que não espero mais nada em relação às pessoas ao meu redor. E sabe que não me intrometo nos suicídios alheios. Sim, de certa forma. Na verdade, não quero pensar sobre isso. Estou prestes a ir be mais longe do que fui desde que pensei em sair do ponto de partida.

O que quero dizer com este termo? Não sei, mas sei que gostei e queria usar.

Tá bom, prometo que vou pensar antes de falar alguma coisa na próxima vez. Mas o senhor pensou? Naquilo que te falei... Procura na internet. Muitas criança morrem o tempo todo de doenças, moléstias e problemas inerentes ao seu nascimento. Não é de se deixar de concluir que elas morreram em prol de outras crianças ricas que tem problemas semelhantes e não são obrigadas a sofrer o desígnio da violência.

Olha pra mim. O senhor sabe de certa forma por tudo o que passei. O senhor é o meu diário. Ao menos minha recente e um pouco de psicologia prática tem de conhecer.

Sim, senhor Ramos, psicologia barata também. Mas convenhamos, não ter medo de dizer algo que está entalado para alguém a quem não se mente não é melhor do que dizer algo que continua entalando à alguém que não tem medo de causar as consequências?

É por isso que confio no senhor pra guardar meus segredos, o senhor é o único que percebe como me sinto... e pra quem eu não minto. Mesmo que obrigado.

O senhor conhece meus métodos melhor que eu. É mais fácil sugerir uma verdade semi-oculta a alguém que não quer ouvir do que falar a verdade para alguém que não te escuta.

Prometo, eu vou parar de usar frases reflexivas... depois que conseguir o meu objetivo. Ser especifista, senhor Ramos, é outra regra. Não devo parar com as reflexões por que são elas que estão reabrindo minha memória. Eu sei perfeitamente do que pode estar lá dentro... E, como vou ter o que preciso da minha memória sem passar por isso.

Tenho sim. Tá difícil. Ultimamente tem ficado pior, passo horas apenas pensando e refletindo sobre coisas que não deveriam me afetar tanto. Tenho quase a inteira certeza de que é depressão, e não bipolaridade.

Se fosse bipolaridade, eu teria picos eufóricos e depressivos, ambos alternados. Não tenho tido alternância e já percebi que não tenho alegria em meus sorrisos, nem mesmo em coisas que normalmente fazem qualquer pessoa rir. Não sei o que fazer, e sei que não sinto vontade natural de rir faz algu tempo.

O senhor deve ter percebido que eu não dou um sorriso natural... Desculpe, às vezes me esqueço que senhor não sai por aí comigo. Sinto sua falta quando estou longe. E sinto muita vontade de voltar aqui e escrever no senhor. Mas não tenho tido muita coisa para escrever.

Obrigado. Então, até breve.

A bientôt.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Selecione outra página.
=>

Viaje pelas tags do blog: